Parada do Orgulho LGBT de Madrid
Parada do Orgulho LGBT de Madrid (FOTO: The Local Spain)

Para fazer o contrapeso diante do crescimento da extrema direita no país, 400 mil pessoas desfilaram na Parada LGBT de Madri, neste sábado (6). O intento do evento foi a celebração do orgulho LGBT+, mas enfatizando os precursores do ativismo na causa.

“A polícia registra a participação de 400.000 pessoas na manifestação do Orgulho 2019 em Madri”, tuitou a corporação. “História, luta e memória!” foi o lema da marcha deste ano na capital espanhola do movimento LGTB, particularmente ativo.

A celebração também relembrou de Stonewall, o levante considerado um marco para comunidade LGBT. O levante, em 1969, Nova York, foi o grande propulsor no reconhecimento e, posteriormente, busca por direitos.


Na época o país estava sob o domínio de Francisco Franco, que chefiou o Estado da Espanha até seu falecimento em 1975. Franco era um crítico ferrenho de qualquer medida que mostrasse favorabilidade à diversidade. Contudo, a homossexualidade foi descriminalizada três anos após sua morte, em 1978.

O desfile vem sendo ameaçado desde a entrada do Vox nas urnas. O partido foi fundado em 2014 e tem lutado para causar impacto no cenário político espanhol. Desse modo, causa controvérsia, pois foi etiquetado como extrema-direita, populista, anti-imigrante e anti-Islã.