Deputado David Miranda, suplente de Jean Wyllys (Reprodução/Facebook)
Deputado David Miranda, suplente de Jean Wyllys (Reprodução/Facebook)

Além de ser um dia de celebração, a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que acontece neste domingo (23), na Avenida Paulista, também é um dia a ser lembrado como de muita luta. A prova disso é a presença do deputado David Miranda e de outras personalidades da política brasileira no evento.

Um dos poucos deputados federais assumidamente gay, David participou de um dos trios da Parada e, em entrevista o site Universa, falou do quanto a data é importante para o momento político brasileiro e da necessidade de pessoas heterossexuais apoiarem a causa.

“Nós temos um presidente abertamente LGBTfóbico. Por isso, é imprescindível mostrar que seremos resistência nesse momento […] As pessoas vêm à rua demonstrar coragem por aqueles que morreram e pelos que sofrem LGBTfobia todos os dias nesse país. Vamos estar nas ruas vivos e com muito orgulho”, disse.


E completou: “Marielle era LGBT e foi assassinada no ano passado. Jean [Wyllys] está exilado. É um momento importante para lembrar de todos aqueles que caíram e não podem estar aqui hoje“.

Celebrando a história de luta da comunidade LGBTQ+ mundial, a 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo está trazendo como tema os 50 anos de Stonewall. O fato é considerada uma das maiores rebeliões de membros da comunidade LGBT contra a polícia de Nova York. O episódio aconteceu em 28 de junho de 1969.