Madrinha da Parada LGBT de SP, Fernanda Lima discursa: “Não podemos deixar que a LGBTfobia continue matando”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Madrinha da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, pelo segundo ano consecutivo, a apresentadora Fernanda Lima criticou a violência sofrida diariamente durante a abertura do evento, neste domingo (03), na avenida Paulista.

“Não podemos deixar que a LGBTfobia continue matando”, afirmou ela prometendo que irá trazer o marido dela, o ator Rodrigo Hilbert, montado na próxima edição do evento. “[Ele vem] de drag”, anunciou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

LEIA MAIS:

“Isso aqui é um ato de resistência”, discursa viúva de Marielle Franco na abertura da Parada LGBT de São Paulo

De maiô colorido, Pabllo Vittar agita e emociona multidão na Parada LGBT de São Paulo

Antes de dar início aos festejos, Lima ainda deu um selinho na apresentadora oficial do desfile,  drag queen Tchaka para o delírio dos 3 milhões de pessoas presentes, de acordo com a organização a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT).

As cantoras Pabllo Vittar e Anitta levantaram a multidão com os seus maiores sucessos puxando os trios elétricos de marcas que patrocinaram a Parada. Outras artistas com apelo ao público como Preta Gil, Lia Clark, Gloria Groove e Mulher Pepita também se apresentaram. Ao fim do trajeto, no Vale do Anhangabaú para os shows de encerramento de Fiákra, Jade Baraldo e Banana Split.

Fernanda Lima dá selinho na drag queen Tchaka (Foto: Fábio Tito/G1)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio