Gaby Amarantos discursa sobre a importância da representatividade LBGT nas mídias “Precisamos falar disso”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por Cadu Safner

Uma das artistas que marcou presença na 22ª Parada LGBT de São Paulo e levantou uma multidão de pessoas com suas músicas é Gaby Amarantos. A estrela do pop/tecnobrega acabou de lançar o seu mais novo single, Sou Mais Eu, e reuniu um time forte e representativo, com negros, índios e homossexuais. A equipe do Observatório G esteve na Parada e conversou com a cantora que falou sobre assuntos pertinentes ao maior evento LGBT do mundo e, é claro, sobre o seu novo trabalho.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Gaby Amarantos detona Silvio Santos e divide opiniões: “Vocês estão mal de ícone”

Quando perguntada sobre a repercussão da música e vídeo clipe Sou Mais Eu ela disse: “Estou muito feliz, a música é sucesso e as pessoas se enxergando, se vendo, vendo este brasil, o brasil que a gente precisava mostrar, me deixa muito feliz”, explicou a estrela.

Leia Mais: Nova York passa a reconhecer terceiro gênero em registro oficial

Com discurso político sobre o atual momento do país, Gaby reforça a ideia da representatividade, “No meu vídeo clipe falamos de representatividade, a gente precisa falar disso, o brasil é preto, é índio, é trans, é gay, é mulher e mulher preta, era disso que eu queria falar”, afirmou.

Sobre a ideia de convidar Gleici Damasceno, a vencedora do BBB18 para participar do clipe ela responde: “Foi minha a ideia, ela é maravilhosa, fiquei muito feliz com todo mundo que participou”. Quando o assunto é a importância de uma Parada como esta, Gaby faz o seu discurso: “É uma festa política, é uma festa pra gente refletir o quanto o brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo. Eu sou sociedade e estou aqui pra dizer que eu apoio”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio