Uniformizados, ativistas ironizam pedidos de intervenção militar durante Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
Uniformizados, ativistas ironizam pedidos de intervenção militar durante Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (Foto: Reprodução/Folha de S. Paulo)

Com o tema “Eleições”, a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, neste domingo (03), marcou por reunir protestos vindos de muitos militantes que ironizaram os pedidos dos conservadores de intervenção militar, que voltou ganhar força durante a greve dos caminhoneiros.

Fardados e vestidos com roupas camufladas muitos aproveitaram para pedir a “intervenção do amor”, como mostrou o site do jornal Folha de S. Paulo. Dentre as fantasias também houveram os que arriscaram o uniforme norte-americano e até o capitão América.

LEIA MAIS:


Participação de deficientes físicos na Parada LGBT de São Paulo cresce e chega a 300 inscritos

“Isso aqui é um ato de resistência”, discursa viúva de Marielle Franco na abertura da Parada LGBT de São Paulo

A partir do slogan “Nosso voto. Nossa voz!”, que visa conscientizar a população LGBT a votar nos candidatos que representem a comunidade nas próximas eleições que acontecem em outubro. “Nossa voz não será calada”, dizia um dos cartazes.

Manifestações contrárias ao deputado federal Jair Bolsonaro “Menos Bolsonaro, Mais Beyoncé”, ironizou em outro cartaz. De acordo com a organização cerca de 3 milhões de pessoas compareceram na Parada, neste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA