Parada LGBT de São Paulo
Parada LGBT de São Paulo (Foto: Divulgação)

Apesar de desmentir as informações falsas que davam conta do cancelamento da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, no próximo domingo (03), por conta da greve dos caminhoneiros, a ONG APOGLBT admitiu que pode sofrer uma queda no público esperado, por conta das manifestações da categoria que afetam diversos setores da sociedade desde o início, há nove dias.

A presidente da Associação, Cláudia Garcia, afirmou durante a entrevista coletiva do evento, que aconteceu nesta segunda-feira (28) que pode haver uma diminuição no número de manifestantes na rua no maior desfile do gênero no mundo.

LEIA MAIS:


Beijo lésbico em nova temporada de série mexicana causa polêmica

Salvador recebe workshop sobre comunidade LGBTQ+ para jornalistas e estudantes

Com a falta de combustíveis que afetam até o transporte público da cidade, pode ser que a Parada não chegue até o número de 4 milhões, expectativa de público para este ano. Porém, a torcida é que a paralisação chegue ao fim até o dia da realização do evento.

DEIXE UMA RESPOSTA