Parada LGBT de Madureira
Parada LGBT de Madureira [Foto: Reprodução/TV Globo]

Ameaçada de não acontecer este ano por falta de verba, a 17ª Parada do Orgulho LGBT de Madureira agitou as ruas do bairro carioca, neste domingo (26). Com o tema “A união nos une, mas a nossa luta nos fortalece”, o desfile arrastou uma multidão que seguiu atrás dos trios elétricos da festa patrocinado por empresas privadas, como a Ambev, que depositou R$ 150 mil, através da Lei Rouanet e R$ 175 mil da Uber de forma direita.

Dentre as atrações do carro principal estava a presença do promoter David Brasil, que agitou o público ao lado da Mulher Pepita. Já no trio da Uber, as cantoras Ludmilla e Aline Rosa completaram o fervo com público em torno de 1 milhão de pessoas.

Leia Mais:


Cresce em quase 1.000%, o número de portadores da Hepatite A em São Paulo

Escola australiana demite professor após alunos descobrirem que ele é gay

A prefeitura do Rio ajudou na organização através de serviços do Centro de Operações Rio (COR), da Guarda Municipal, do CET-Rio e da Comlurb. A polícia militar também esteve presente com mais 300 agentes para fazer a segurança da Parada.

“A prefeitura estava com a parte orçamentária complicada e só agora no final do ano conseguimos fazer o apoio com isenção de taxas, publicidade e infraestrutura”, explicou o Superintendente Regional de Madureira Júlio Vargas ao jornal O Globo.