Sem patrocínio, Parada LGBT de Copacabana é adiada para novembro

Parada LGBT de Copacabana
Parada LGBT de Copacabana (Foto: Divulgação)

A 22ª Parada do Orgulho LGBT de Copacabana está difícil de desencantar. Após perder o patrocínio da prefeitura do Rio de Janeiro este ano, o evento será adiado e passará do dia 15 de outubro, data marcada originalmente, para o dia 19 de novembro. As informações são do jornal O Globo.

Agora, os organizadores correm contra o tempo para conseguir apoio de empresas privadas para conseguir arrecadar pelo menos, o valor de R$ 500 mil, que seria o suficiente para fazer uma festa de estrutura mínima com banheiros e segurança para o público que pretende comparecer a orla da cidade carioca.

Leia Mais:


Parada LGBT de Salvador homenageia Rogéria e reúne cerca de 900 mil pessoas

Fãs flagram Demi Lovato em clima de romance com outra mulher e especulam namoro

A nova gestão do município do Rio de Janeiro, comandada pelo prefeito Marcelo Crivela cortou o patrocínio a Parada de Copacabana deste ano. A justificativa é que o evento demanda muitos gastos a prefeitura, que devem aos cofres públicos R$ 696 mil e R$ 68 mil, referentes a edições passadas do desfile.

ATUALIZAÇÃO

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS) procurou o Observatório G para esclarecer que “a Prefeitura do Rio de Janeiro criou este ano o “Outubro da Diversidade”, mês que será voltado para ações LBGTs, incluindo a realização de diversas paradas, entre outras comemorações.”, disse em nota.

O texto ainda informa que “em relação à Parada de Copacabana, a Secretaria Municipal de Cultura autorizou em julho os organizadores deste evento a captarem junto à iniciativa privada R$ 895 mil, via Lei do Imposto Sobre Serviços (ISS), um tributo municipal, demonstração de que o prefeito Marcelo Crivella incentiva a realização de eventos que contribuam para o panorama de diversidade na Cidade do Rio de Janeiro.”, conclui.


DEIXE UMA RESPOSTA