Cena da segunda temporada de Sense8
Cena da segunda temporada de Sense8 (Foto: Reprodução)

Pouca gente sabe, mas hoje, dia 17 de maio é comemorado o dia de consciencialização civil para a discriminação das pessoas homossexuais, transexuais e transgêneros.

Nesta data realizam-se eventos internacionais tendo em vista obter o apoio para o respeito dos direitos da comunidade LGBT em geral.

Esta efeméride celebra-se a 17 de maio pois foi neste dia (em 1990) que se retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde (OMS).


Sim gente, por muito tempo gostar de alguém do mesmo sexo foi considerado doença, se isso em si já é um absurdo em 1990, imagina pensar que alguns pastores evangélicos sugerem o mesmo aqui no Brasil em pleno século XXI.

Queremos parabenizar você! Sim, você que não tem vergonha de ser você mesmo, você que é pintosa, que usa peruca, você que não tem problema de pegar a calça da irmã emprestada ou a maquiagem da mãe pra dar aquele truque nas espinhas.

Parabéns a você que é gay heteronormativo que não faz nada das coisas citadas anteriormente, mas que acima de tudo respeita o diferente para também ser respeitado.

Parabéns aos gays ursos, acima do peso que se amam tais como são e a você que sabe que nem só de boy sarado da academia se faz a comunidade gay.

Parabéns a você que luta diariamente mesmo sem querer contra o preconceito e aos ativistas que vão as ruas, canais do youtube dar a cara pra bater.

O que a comunidade LGBT precisa é de mais união, amor, pois juntos somos mais fortes.

Temos muito pelo o que lutar, inclusive por coisas que são dadas de graça para os héteros como o simples direito de casar, receber pensão do companheiro, doar sangue. Aos poucos vamos mudando essa realidade e mostrando que no fim, é tudo amor não é mesmo?!

Parabéns a você que sabe o seu papel nesta grande jornada da comunidade LGBT, você que respeita o passado e os que lutaram por nós, você que respeita o seu voto e procura votar em pessoas que possam representar você, mas sobre tudo parabéns a você que respeita você mesmo e não vive uma vida de reclusão fingindo ser algo que não é.

A gente sabe que se assumir não é algo fácil, ás vezes o conflito começa em casa, ou até mesmo dentro da nossa própria cabeça, mas acreditem, não existe coisa melhor do que poder ser nós mesmos.

Parabéns a você que tem orgulho de ser LGBT!


  • HOMOSSEXUALIDADE N A VISÃO ESPÍRITA

    Em declaração ao Jornal Folha Espírita de 1984, Chico disse:

    “Não vejo pessoalmente qualquer motivo para criticas destrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, a nosso ver, claramente iguais às tendências heterossexuais que assinalam a maioria das criaturas humanas. Em minhas noções de dignidade do espírito, não consigo entender porque razão esse ou aquele preconceito social impediria certo numero de pessoas de trabalhar e de serem úteis à vida comunitária, unicamente pelo fato de haverem trazido do berço características psicológicas e fisiológicas diferentes da maioria. (…)

    No site do Instituto André Luiz encontramos opiniões de Emmanuel e de André Luiz sobre o homossexualismo.

    A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação e o mundo vê, na atualidade, em todos os países, extensas comunidades de irmãos em experiência dessa espécie, somando milhões de homens e mulheres, solicitando atenção e respeito, em pé de igualdade ao respeito e à atenção devidos às criaturas heterossexuais.(Emmanuel)
    Já o espírito Ramatis, no livro “Sobre a Luz do Espiritismo”, ditado através da mediunidade de Hercílio Maes, declara:

    PERGUNTA: — A tendência de buscar uma comunhão afetiva com outra criatura do mesmo sexo, conhecida por homossexualidade, implica em conduta culposa perante as leis Espirituais? RAMATÍS: — Considerando-se que o “reino de Deus” está também no homem, e que ele foi feito à imagem de Deus, evidentemente, o pecado, o mal, o crime e o vício são censuráveis, quando praticados após o espírito humano alcançar frequências muito superiores ao estágio de infantilidade. Os aprendizados vividos que promovem o animal a homem e o homem a anjo, são ensinamentos aplicáveis a todos os seres. A virtude, portanto, é a prática daquilo que beneficia o ser; nos degraus da imensa escala evolutiva. O pecado, a culpa, são justamente, o ônus proveniente de a criatura ainda praticar ou cultuar o que já lhe foi lícito usar e serviu para um determinado momento de sua evolução. A homossexualidade, portanto, de modo algum pode ofender as leis espirituais, porquanto, em nada, a atividade humana fere os mestres espirituais, assim como a estultícia do aluno primário não pode causar ressentimentos no professor ciente das atitudes próprias dos alunos imaturos. Pecados e virtudes em nada ofendem ou louvam o Senhor, porém, definem o que é “melhor” ou pior para o próprio ser, buscando a sua felicidade, ainda que por caminhos intrincados dos mundos materiais, sem estabilidade angélica. A homossexualidade não é uma conduta dolosa perante a moral maior, mas diante da falsa moral humana, porque, os legisladores, psicólogos, e mesmo cientistas do mundo, ainda não puderam definir o problema complexo dos motivos da homossexualidade, entretanto, muitos o consideram mais de ordem moral do que técnica, científica, genética ou endócrina. Fonte: Grupo Universalista Jesus em seu lar

    Em outra pergunta, Ramatis confirma a declaração de Emmanuel:
    PERGUNTA: — Mas o que realmente explica o fenômeno da homossexualidade? RAMATÍS: — É assunto que não se soluciona sobre as bases científicas materialistas, porque, só podereis entendê-lo e explicá-lo, dentro dos princípios da reencarnação.

    Como podemos notar, irmãos, para a Doutrina Espírita o homossexualismo é apenas uma estágio evolutivo que não fere as Leis Divinas e muito menos se trata de um equívoco do Criador. O que vale é a reforma íntima, independente da orientação sexual.

    PERGUNTA: — Que dizeis desse estigma de homossexualidade, quando as opiniões se dividem, taxando tal fenômeno de imoral, e outros de enfermidade? RAMATÍS: — Sob a égide da severa advertência do Cristo, em que “não julgueis para não serdes julgados”, quem julgar a situação da criatura homossexual de modo antifratemo e mesmo insultuoso, não há dúvida de que. a Lei, em breve, há de situá-lo na mesma condição desairosa, na próxima encarnação, pois, também é de Lei “ser dado a cada um segundo a sua obra”. Considerando-se nada existir com propósito nocivo, fescenino, imoral ou anormal, as tendências homossexuais são resultantes da técnica da própria atividade do espírito imortal, através da matéria educativa. Elas situam o ser numa faixa de prova ou de novas experiências, para despertar-lhe e desenvolver-lhe novos ensinamentos sobre a finalidade gloriosa e a felicidade da individualidade eterna. Não se trata de um equívoco da criação, porquanto, não há erro nela, apenas experimento, obrigando a novas aquisições, melhores para as manifestações da vida.

    O Dr. Andrei Moreira, presidente da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais, em entrevista concedida para o médium e terapeuta Wanderley Oliveira, diz:

    O Espiritismo recomenda a todas as criaturas a conscientização a respeito da sacralidade do corpo físico e da sexualidade, como fonte criativa e criadora, destinada a ser fonte de prazer físico e espiritual, sobretudo de realização íntima para o ser humano, em todas as suas formas de expressão.

    Para o Dr Inácio Ferreira, médico psiquiatra desencarnado em 1988 e que escreve a partir da mediunidade de Carlos Baccelli:
    O homossexualismo deve ser compreendido por nós outros como uma das muitas experiências que o espírito vivencia em sua trajetória, para que, finalmente, aprenda a verdadeiramente amar para além dos implementos genésicos que o caracterizam como homem ou mulher! Com o meu carinho, o irmão sempre agradecido, INÁCIO FERREIRA Uberaba – MG, 8 de setembro de 2009

    Na Wikipedia encontramos um parágrafo que reforça tudo que foi citado até aqui:

    O Espiritismo crê que o espírito humano não tem sexo e que um mesmo espírito pode em diferentes encarnações habitar igualmente o corpo de um homem ou de uma mulher, sendo capaz de amar homens e mulheres. Não existe uma posição oficial sobre a homossexualidade. Alguns doutrinadores, como José B. de Campos, pregam que a questão mais importante no tocante à homossexualidade é a promiscuidade, aconselhando o homossexual a tomar um parceiro e constituir um lar [13]. O doutrinador e médium Divaldo Franco posiciona-se de forma semelhante, frisando que o homossexual, como o heterossexual, será julgado conforme sua conduta moral, independente da sexualidade[14]. (Homossexualidade e religião)

    FONTE INFORMATIVA: http://www.blogdolivroespirita.com/2012/07/homossexualidade-na-visao-espirita.html

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/#ixzz49mbiGNad

    CONCLUSÃO:
    À PAR DESTA PREMISSA INQUESTIONÃVEL, EIS QUE ACABAMOS DE BANIR DO NOSSO MEIO O NEFASTO PRECONCEITO DA HOMOFOBIA, PROPICIANDO O CONSOLO PARA MUITOS CORAÇÕES FERIDOS E INCONFORMADOS, NORTEANDO O BEM DA CURA E DA PAZ EM CRISTO.
    AGORA, PORÉM, O ARCO-IRIS DEVE SER RECONHECIDO POR TODOS, RESPEITADO E CULTUADO COMO SIMBOLO SAGRADO, POIS SIMBOLIZA A ALIANÇA ETERNA ENTRE DEUS E A HUMANIDADE, CFE. A PÁG.118 DA NOSSA BIBLIOGÊNESE.
    I S R A E L

  • CONSAGRAÇÃO DA BIBLIOGÊNESE DE ISRAEL

    Evangelho – bússola de precisão para os dias atuais

    Todo ser humano, sendo em sua natureza íntima uma centelha ou expressão da própria divindade, tem dentro de si uma programação, um condicionamento que o leva a buscar sua origem de luz. Não seria esse movimento uma busca intuitiva do Reino de Deus, tão citado nos Evangelhos? Outra não tem sido nossa tarefa na vida que não seja percorrer um longo caminho em busca desse Reino, onde pretendemos chegar qualificados e dignos da condição de Filhos da Luz.

    A divindade propõe aos seus filhos um caminho permeado de experiências diversas (leves, instrutivas, alegres, fortes, dolorosas…) todas elas visando um só alvo: o conhecimento de como funciona o mecanismo evolutivo.

    Mas onde encontrar os meios facilitadores para essa intensa jornada da alma? Afinal, percorrer os labirintos cósmicos exige habilidades e muita vontade para vencer obstáculos. Entendemos que o “mapa”, a “bússola” para nos guiar nessa trajetória é mesmo o Evangelho de Jesus. Não há nenhuma intercorrência durante essa longa viagem que não seja resolvida pelo uso das diretrizes propostas na essência do Cristianismo.

    O Evangelho é a base do Terceiro Milênio. Os ensinamentos de Jesus são tão importantes para nossos tempos como foram para os cristãos primitivos. Vou mais longe… penso que são até mais importantes atualmente, pelo fato de estar a Terra em mutação, em passagem para outros níveis vibratórios.

    Dá para percebermos a relevância de estudarmos e meditarmos nos ensinos evangélicos, não é mesmo? Sobretudo quando já se tem uma metodologia lógica, inteligente e simples como é a proposta sugerida pelo saudoso irmão Honório Onofre Abreu, que muito atuou na União Espírita Mineira. Ele propôs um método simples de entendimento das verdades do Evangelho chamado “Estudo Minucioso do Evangelho de Jesus”. E, às vezes, esse minucioso era tão minúsculo que apelidado foi o método, carinhosamente, de “miudinho”. Muitas casas espíritas adotam o sistema proposto formando grupos de estudo com bases no crescimento e na expansão da consciência.

    Necessário se faz compreender que as palavras de Jesus podem ser interpretadas como um ensino moral apenas (fase inicial de nosso crescimento espiritual, de nossa busca pelo Reino) mas também podem, e devem, ser interpretadas a partir do que se esconde por trás das letras, ou seja, o verdadeiro ensino cósmico, válido não apenas para nos comportarmos bem numa existência, mas para fixarmos as lições da Eternidade.

    Toda história dos Evangelhos revela a longa jornada da alma, desde a criação da centelha divina, sua descida vibratória nos vários níveis dimensionais até seu retorno à “Casa do Pai”. Todo esse trabalho divino ou seja, o processo evolutivo, está registrado nos Evangelhos numa simbologia que envolve parábolas, palavras chaves, sinais, comparações. Tudo isso para que compreendamos que, pelo trabalho e registro de experiências, o princípio espiritual vai se qualificando, vencendo os desafios dimensionais do Cosmo e buscando sempre a Luz.

    Pode-se perceber que retirar apenas o sentido moral dos ensinos de Jesus é fase primária, sobretudo para quem já conhece as verdades espíritas codificadas por Kardec.

    O que é preciso compreender é que a história revelada nos Evangelhos é aplicável não apenas ao Personagem Divino que viveu durante algum tempo entre os homens, mas que possui significado prático para o home de nossos dias.

    Em todas as passagens do Evangelho podemos verificar as leis que governam o Universo, e isso nos fornece material para passarmos com proveito pelas experiências terrenas, conquistando valores em favor de nosso crescimento. Cada ensino, cada lição, revela uma lei, que poderíamos chamar de diretriz, regra geral. Estudando as passagens do Evangelho vamos registrando a proposta divina para o ser espiritual e armazenando um conteúdo eterno, o que equivale a dizer que o que rege a vida na Terra em termos espirituais é o que rege a vida em outros planos – a Lei Única.

    Para compreender esse significado oculto do Evangelho precisamos desenvolver uma faculdade superior – intuição! Há fatores que facilitam esse desabrochar bem como há comportamentos que dificultam seu surgimento. Entre os facilitadores podemos destacar: intelecto livre de dogmas, vida simples no plano físico e emocional, cultivo da fé, hábito da meditação, estudo perseverante. Com a intuição mais dilatada vamos percebendo o verdadeiro sentido do Evangelho para a Terra e para nossas vidas.

    O Cristo demonstrou aos seres humanos a perfeição da tarefa que cada um deve realizar dentro de si mesmo. Eis o sentido intuitivo de toda a história narrada nos Evangelhos.

    Vivemos um especial momento para nossas almas. Parece que a ordem planetária sugere muito mais do que esforço no bem, sugere que sejamos bons e, para isso, é preciso compreender nossa história cósmica, as definições do Plano Evolutivo para nossa vida atual e, principalmente, o serviço espiritual que a Divindade delegou a cada um de nós. Assim, o Evangelho de Jesus passará de escritura sagrada com preceitos morais para a categoria de bússola imprescindível para os habitantes da Terra. Isso nos pede entrega, humildade e uso das faculdades superiores.

    Fonte: NEPE – Núcleo de Estudo e Pesquisa do Evangelho
    Artigo de Angélica Maia

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-evangelho-segundo-o-espiritismo/evangelho-bussola-de-precisao-para-os-dias-atuais/#ixzz4vaqch9KQ