A falta de identidade musical de Wanessa Camargo e o oportunismo do álbum “33”

45
16515
Comparação dos álbuns de Wanessa Camargo e a diva Adele
Comparação dos álbuns de Wanessa Camargo e a diva Adele (Foto: Montagem)


Mudar é bom, não é mesmo?! Quando a mudança envolve personalidade é melhor ainda! Porém, este não é o caso da cantora Wanessa Camargo.

Na tarde desta quinta-feira (23), Wanessa Camargo recebeu a imprensa em São Paulo, para lançar o seu novo álbum intitulado “33”. (Uma referência gritante e pra lá de pretensiosa aos álbuns da cantora britânica Adele que sempre assinou seus discos com sua idade)

O oitavo álbum de estúdio da cantora apresenta o sertanejo como gênero de escolha. Uma escolha pra lá de conveniente se considerarmos a boa fase do sertanejo feminino no Brasil.


O curioso é que em 2009 a mesma cantora que hoje tenta pegar carona no sucesso do sertanejo, revelou em entrevista a “RG Vogue”, que “não gosta de sertanejo, que tem muito respeito pelo tipo musical, mas que nem se identifica e nem ouve o gênero”.

Ora, ora, ora… O jogo virou, não é mesmo?

Vale lembrar que a Wanessa Camargo é a mesma cantora que no inicio de sua carreira tentou produzir um som pop semelhante ao da Sandy e não deu certo, depois cansou do sobrenome “Camargo” e virou apenas Wanessa.

Notando o grande potencial que era a comunidade LGBT, a então “Wanessa” migrou para as músicas de balada e se escorou em cima da receptividade do público LGBT onde viveu por um bom tempo de fazer shows em baladas.

Quando a sua única música de trabalho (Shine It On) se desgastou e os trabalhos começaram a diminuir sem o menor pudor ou arrependimento a cantora convenientemente voltou ao usar o sobre nome “Camargo” e agora tenta acontecer na carreira sertaneja.

Pensa que o show de cópias e oportunismo acabou? Não mesmo!

Durante o lançamento do novo álbum a cantora conseguiu a heresia de se rotular como “Camaleoa”.

“Sou camaleoa. Gosto dessas mudanças. Uma hora você agrada um, outra hora agrada outro… Sou uma pessoa que gosta de coisas diferentes”, disse Wanessa.

Quem conhece o mínimo de música sabe que ela pegou pra si o título de ninguém menos do que o gênio David Bowie que ficou conhecido como camaleão da música por conta de seu vanguardismo e versatilidade.

Alguém explica pra Wanessa Camargo, ou seria só Wanessa? Enfim, estou confuso já, que mudar por uma convicção como fez Lady Gaga quando apostou no Country quando todos queriam e cultuavam o pop pode ser considerado uma decisão arrojada.

Porém, se você simplesmente muda para fazer mais do mesmo e se apoiar no sucesso de algo que você nem se identifica pode soar de um grande oportunismo e falta de personalidade.

Pra finalizar, uma frase da própria cantora no lançamento de seu novo álbum:

“Tudo que faço, faço com minha verdade”, contou Wanessa.

ATA!


45 COMENTÁRIOS

  1. Sou fã da Wanessa e concordo com o álbum não ter personalidade sobretudo não ter a essência dela que é o pop (seja romântico ou eletrônico) e não o sertanejo. Quando ela diz que está voltando as raízes fazendo esse som, soa oportunista porque ela nunca foi sertaneja, e ponto.

    Mas sejamos coerentes ao afirmar algo. Não, ela não se cansou do sobrenome Camargo em 2009, ela simplesmente cansou de ser ignorada pelas rádios pop (Jovem Pan e afins) que por preconceito não tocavam sua música por dizer que o “Camargo” soava brega.

    E não, “Shine It On” não foi sua única música de trabalho. De 2010 a 2015 tivemos Falling For U, Stuck On Repeat, Sticky Dough, Shine It On, Turn It Up, e Wanna Be (que era do Mr. Jam com feat dela). Na página do Mr. Jam existe um vídeo onde ele explica que já estava pronto um álbum pop (em português) que seria lançado em 2015. E não, os trabalhos não acabaram e por isso ela migrou, foi o exato contrário. Os contratantes desistiram dos shows após a mudança de gênero pois queriam um show pop. E mesmo que esteja em alta, ela não tem mais tantos shows agendados como antes.

  2. Achei ridícula a comparação com o álbum da Adele, Wanessa ou Wanessa Camargo não precisou imitar Sandy em nada fez da forma que achou mais conveniente, por isso acumula mais de 2 milhões de vendas físicas e elogios de portais internacionais além de grandes parcerias na música.
    Esquecem que a artista é um ser humano como outro qualquer que muda de opinião em relação a algumas coisas com o passar do tempo. Você não aprovar um trabalho OK mas não ver qualidade nenhuma acho total coisa de hater.
    Bjos de luz, a sertaneja mais pop que você respeita!

  3. Concordo com boa parte, porém, eu também detestava sertanejo e hoje em dia gosto de algumas e até as canto. Se aconteceu comigo, porquê não com Wanessa? Acredito que o autor do texto também mudou bastante seu próprio gosto musical e apesar de concordar com grande parte do texto, me pareceu que o que tens contra Wanessa é algo bem pessoal.

  4. Não consegui ler o texto todo, muito cheio de ódio gratuito, anti ético e é feito apenas para ofender uma artista com versatilidade musical e que dispensa rótulos, e ela faz muito bem.

  5. Quem é você pra falar de alguém? Pelo visto espelho não existe na sua casa. Antes de julgar tenta dar uma olhada no espelho e vê essa sua cara de pau, ridícula que você tem! Aprenda a ser uma pessoa melhor, ah difícil neh ser falando mal dá Wanessa Camargo. Tá querendo aparecer??? Seu cara de pau. Melhor ficar com a boca fechada assim não precisamos ver esse tipo de lixo que você escreve .

  6. Mas o q ???? claramente ódio pessoal contra a Wanessa, não gosto do som dela, porém … Taylor Swift já lançou um álbum 22 (imitou adele? não), Luan Santana lançou o 1977 (Imitou Taylor? não), a maioria dos artistas nacionais ou internacionais faz o que vende. Falar que Wanessa se escorou na comunidade LGBT kkkkkkkk menos amore, muitas Divas do pop já faz isso há muito tempo. seria interessante vc ouvir o álbum e fazer uma critica mais construtiva né.

  7. Prefiro não comentar, pois o que eu sinto por ela vale muito mais que seus comentários… Eu n curtia sertanejo e comecei a gostar muito antes dá própria Wanessa virar sertanejo, e amei a mudança !!

  8. O povo aqui fazendo várias defesas mas ninguém se atenta ao básico… Wanessa em 2009 foi muito clara em falar que o Sertanejo não é seu estilo, mudando assim para o Pop do qual ela, em minha humildade opinião, se muito bem. Mas convenhamos ela queria ter a visibilidade de uma Anitta e não conseguiu e agora vai tentar isso com sertanejo que para mim e um tiro no pé. E Emílio adorei o texto!

  9. Gente que matéria mais ridícula!!!! Oportunismo é falar de forma negativa das pessoas para arrancar leitores, seguidores, etc… muito me entristece uma pessoa que prega a diversidade com tanto PRECONCEITO!!!!! Meio louco né? Vai entender….

  10. Não vejo nada de pretensioso em usar a idade como título do álbum. Se ela gostou da ideia da Adele, por que não usar também? Ser influenciada direta ou indiretamente em projetos de outros artistas é a coisa mais normal do mundo.

    Ela não tentou produzir “sonoridade Pop da Sandy” no inicio de sua carreira, assim como Sandy & Junior, ela (seus empresários e produtores, provavelmente, assim como no caso da dupla de irmãos) se escorou no pop que estava fazendo sucesso no mundo todo. E deu certo sim, eu mesmo que não gosto tanto de Wanessa me lembro que ela fazia sucesso na primeira fase de sua carreira.

    De resto eu concordo com tudo. Vale lembrar que antes de apostar no publico LGBTTIQ ela tentou uma carreira na Black Music, cantando com o Ja Rule e trazendo uma sonoridade mais Hip-Hop – estilo que estava fazendo bastante sucesso em 2006-2009.

    Wanessa sempre fez péssimas escolhas em sua carreira, pra começar apostando no publico gay com aquela sonoridade horrível, que poderia sim servir para baladas e afins, mas comercialmente falando era um desastre. Musicas datadas, que pareciam de outra época, realmente atingiam um publico muito em especifico. Não sei onde ela estava com a cabeça em achar que faria sucesso com aquilo em vez de apostar em um pop mais comercial e com clipes bem produzidos (ela deve ter dinheiro para isso).

    O álbum em sertanejo universitário foi o maior tiro no pé que ela poderia ter dado. As musicas soam genéricas, ela não consegue trazer carisma o suficiente para conquistar um novo publico, a maioria das pessoas estão cientes daquelas declarações dela. Ou seja: essa mudança de gênero soa desespero. Tudo nessa nova fase dela foi mal aproveitado. Os clipes são basicamente ela em um estúdio cantando. Tudo bem, artistas de sertanejo fazem isso, mas ela poderia ter bolado uns clipes legais para atrair publico já que ela é “novata” nesse estilo. Principalmente na era youtuber, um bom clipe poderia trazer bons resultados, mas a preguiça e a vontade de empurrar tudo com a barriga falou mais alto. É como se ela achasse que fãs de Sertanejo Universitário aceitariam qualquer merda que ela jogasse para eles. Espero que no próximo álbum ela contrate um empresario descente para por um rumo na mente artística dela, porque se quer ser oportunista, ao menos que faça direito.

  11. Que matéria pobre em todos os sentidos.
    Nem irei me prolongar aqui. Só parem e percebam que as pessoas evoluem. Hoje não gostam de algo, amanhã pode ser diferente. Eu mesmo não curtia sertanejo e hoje curto. Qual o problema disso? Nenhum!
    Wanessa é livre para percorrer aonde ela quiser. Ela tem talento, anos de estrada, e faz tudo sempre bem feito. Só pegarem por exemplo e verem suas turnês, seus allbuns. Nunca foram a mesma coisa. Isso é legal para um artista. Se reinventar…
    A Beyoncé é bonito lançar cada trabalho diferente. Agora quando é um artista nacional é uma chuva de críticas. Colocar a idade no disco é algo exclusivo e registrado da Adele? Não ne.. entao, melhorem

  12. Ela NUNCA disse que “não gosta de sertanejo”, isso vocês inventaram. Ela apenas disse que não ouvia e não se identificava NAQUELA ÉPOCA. E isso foi a quase 10 ANOS atrás, todo mundo muda nesse tempo.

    (Será que vão continuar excluindo meus comentários por eu falar a verdade?)

  13. Uma história de sucesso não se constrói sem despertar inveja em algumas pessoas.

    Uma história de sucesso não se constrói sem contrariar os céticos.

    Não se constrói sem combater os oportunistas que tentam tirar o que é seu.

    Uma história de sucesso não se constrói de forma natural e orgânica. É luta, é pau, é pedra, é o fim de um ciclo para iniciar um novo repetidamente.

    É ruptura constante.

    Toda história de sucesso começou com uma decisão corajosa.

    Começou com riscos assumidos.

    Deixou algumas pessoas descrentes e com pena de quem estava tentando algo novo, prenunciando seu fracasso.

    Deixem a moça lutar pelo espaço dela. O importante é fazer com qualidade e isso a Wanessa está fazendo. O álbum é o segundo mais vendido no site da Som Livre, ganhando até da Marília Mendonça que lançou na mesma época.

  14. Matéria sem verdade ou fundamento…Cada um pode ser o que quiser, Rihanna por exemplo, já explorou e explora vários sons em seus álbuns, assim como Madonna e Lady Gaga que lançou um álbum bem diferente dos anteriores, a grande diferença é que Wanessa é brasileira e fazer isso no Brasil é bem diferente, o público é bem mais preconceituoso com artistas brasileiros, hj o que mais vale aqui no país são os números de views no YouTube do que o verdadeiro talento de um artista…

  15. Você que escreveu esse lixo desse texto, só pode ser fã da Sandy ou Rafinha Bastos, pra que esse ódio no coração, seu infeliz?
    Ou é fã encubado da Wanessa Camargo, se a acompanha desde o início sabe que a mesma sempre foi assim, eclética, sempre inovando, a mesmice não é com ela.
    Pega esse texto lixo de inverdades e… Já sabe o que faz não é?
    O sucesso da Wanessa incomoda muita gente, linda, humilde, talentosa, vencedora, ousada, inovadora.
    Passar bem.

  16. Carreira que não tem o preço do suor não é carreira. Ela pode tentar mais mil vezes e não vai sair da mesma. Quantos filhos do Pelé se tornaram craques? Na moral ela não é mal pessoa, mas cantar não é a praia dela. Deus apontou o sucesso para o pai e não para ela. Mesmo o pai não sendo afinado Ele ralou muito e foi recompensado. Se ele tivesse investido em outra carreira menos a de cantora já teria alcançado o topo aos 23 e hoje aos 33 curtindo sem pressão de ser Camargo.

  17. Nunca li tanta asneira
    Tá na cara que o jornalista que seja essa matéria não tem o mínimo de noção do que é o trabalho da Wanessa Camargo
    Nós estamos adorando a nova Wanessa Camargo seja Pop ou sertanejo pelo menos ela faz um trabalho próprio se não fica sentadinho no sofá escrevendo criticando o trabalho dos outros

  18. Wanessa fez sim muito sucesso no inicio de sua carreira , tanto que seus primeiro álbuns venderam muito, em 2009 a música Fly foi a música mais tocada… Ela não teve muito exito na era DNA , mas não por falta de qualidade , e sim pelo público brasileiro preferir artistas internacionais, mesmo assim ela recebeu várias criticas positivas , criticadas até de tabloides internacionais … E agora com o 33 ela esta conquistando seu espaço na mídia novamente . São 17 anos de carreira e mesmo assim consegui milhões de visualizações emplaca hits nas rádios e é muito requisitado por programas de tv.
    Então querido ,quando for escrever uma crítica , estuda mais sobre o tema .

  19. Emilio, teu texto está fantástico e pegou bem na veia. Foi certeiro! Era tudo o que também teria escrito. Pessoas de bom senso como nós enxergam o oportunismo barato de Wanessa ao fazer esse álbum. Na verdade ela nem sequer fez, já que não compôs nada pra ele. Apenas comprou as músicas de outros malas do sertanojo. Desconsidere as críticas acima e leve na boa. No Brasil, falar a verdade dói em quem não tem cabeça.

  20. Hahaha… Curti o texto, primeiramente a mina quis embarcar na vibe da Sandy e passou vergonha super desafinando no lançamento da sua carreira no programa do Gugu, posteriormente quis ser a pop brasileira, ou seja, deu ruim, não deixando por menos, acabou com o hino de um time estrangeiro cantando um inglês “crasso”, que a mídia infelizmente abafou. Agora, vendo a repercussão do feminismo sertanejo, tá querendo resgatar a “raiz” que rejeitou desde os primórdios anos. Nada contra o resgate da raiz negada, mas uma retratação seria válida, antes do lançamento do álbum de estilo sertanejo, enfim, ao meu ver, e reafirmo, “ao meu ver e reles opinião”, faltou uma retratação, uma justificativa, do contrário, esse lançamento repentino é hipócrita e de cunho totalmente comercial. Mas num país em que o capitalismo + egoísmo imperam, ela se incaixa bem certinho. No mais, não sou obrigada a ouvir, assim como você não é obrigado a concordar com a minha opinião. O choro é livre, assim como “não ouvir” é um direito meu. Bjs de luz!

  21. Olha se você for esquentar a cabeça com artista fica maluco pois antes de tudo é ser humano e eu gostava mais da Wanessa das músicas na fase pop como a Sandy era pop e continua sendo agora que ela nunca foi do sertanejo acho que qualquer um pode afirmar.

  22. Muito fraquinha em qualquer gênero. Esse pessoal pensa que porque é filho ou filha de famoso o povo engole tudo que eles fazem. Já basta a malhação que está cheia de parentes de artistas. Jovens sem talento que estão ali pra ver se é isso mesmo que eles querem. Enquanto isso, os verdadeiros artistas não têm chance. Quem perde com isso é público.

  23. Credibilidade caída por terra logo de cara com essa matéria totalmente tendenciosa e com informações imprecisas, sem nenhuma base de realismo. 3 milhões de copias (antes do YouTube) em 17 anos de carreira, é algo que exige no mínimo respeito. Ou você acha que ela como artista ia ficar cantando em inglês no Brasil ate ficar velhinha? Esse gênero não existe, ela foi pioneira nisso, e fez o melhor que podia fazer. O que ela deixou de presente dessa época : o album DNA, provavelmente o melhor album pop já produzido no Brasil. Só Shine it On de sucesso dessa época? Meu amigo, vá se informar melhor como jornalista que é. Diversos hits, parceria com Ja Rule, Soulja Boy, Carlos Dallanese o papa da elétronica, e remixes de suas músicas assinados por ninguém menos que Dave Aude. A mulher casou, cresceu, amadureceu, teve dois filhos, é pecado partir para novos rumos? Você pensa exatamente da mesma forma como pensava há dez anos atrás? Duvido. Wanessa brilhou na era pop, sempre tratou a comunidade GLS com extremo respeito, carinho e profissionalismo, e chega a ser cruel ver agora essas pessoas a criticarem simplesmente porque ela desabrochou para outros rumos. Camalea sim, desde sempre!Bando de ingratos. Wanessa é talentosissima, e estarei apoiando e aplaudindo tudo que ela fizer, pois conheci de perto a artista humilde, verdadeira, com brilho nos olhos e que se entrega de coração a tudo que faz. Wanessa é mito, e sua matéria é rasa e sem conhecimento de causa, de quantas pessoas ela fez feliz, nesses 17 anos de trajetoria. Viva Wanessa Camargo!

  24. Acabei de assistir o programa do Fabio Porchat e você conseguiu colocar em palavras o que eu penso sobre a carreira da Wanessa Camargo… ou sem Camargo.
    Uma artista sem identidade musical, perdida no mundo. E nada do que você escreveu é tendencioso ou maldoso. É apenas a realidade de uma artista que almeja um grande sucesso, seja ele em uma carreira internacional ou nacional. Mas o que se nota, é que ela não se encontrou. Pois sempre chega atrasada para o “Bum Musical” do momento. Muda o estilo musical literalmente conforme a música toca. Se for isso que está fazendo sucesso é para lá que ela vai. Ela só se esqueceu de ser autêntica nas suas verdades.

DEIXE UMA RESPOSTA