Uefa desiste de punir goleiro com braçadeira em homenagem ao Mês do Orgulho

Entidade máxima do futebol europeu concluiu que o ato foi pela diversidade

Publicado em 20/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Neste final de semana, a Uefa decidiu voltar atrás sobre a investigação contra o goleiro da Alemanha, Manuel Neuer, pelo uso da braçadeira com as cores do arco-íris em homenagem ao mês do Orgulho LGBTQIA+ durante uma partida oficial. A entidade chegou a conclusão que o ato foi “justo” e por uma “boa causa”.

Anteriormente, a entidade máxima do futebol europeu havia cogitado multar o goleiro e a equipe alemã pelo uso da braçadeira com o Pride Month, alegando que poderia ser um ato político, violando as regras do torneio. Entretanto, a Uefa voltou atrás e disse através de uma carta para a equipe alemã, que o ato foi pela “diversidade”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em nota oficial, a Uefa declarou que o combate à homofobia é uma de suas prioridades. “Estamos no mês do orgulho e, no evento mais importante do período, o uso de uma braçadeira com o símbolo do arco-íris deve ser evitado? A Uefa deve pensar naqueles que o ato representa. O que os atletas devem pensar agora?”, disse.

Antes de a Uefa investigar o caso, o goleiro alemão havia sido atacado publicamente pelo deputado Uwe Junge, do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha, que desejou que o atleta fosse punido severamente pelo ato.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio