“Sou obrigada”, justifica Damares sobre proteção a travestis

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Ministra Damares Alves, responsável pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, após ser indagada sobre o motivo de fornecer políticas a grupos minoritários, sobretudo a travestis, destacou que cumpre uma obrigação imposta por lei.

“O parlamentar coloca [o projeto] e eu sou obrigada por lei. Se eu não cumprir, não executar a emenda parlamentar que é impositiva, eu respondo por crime de responsabilidade. Eu tenho que cumprir”, disse em uma live com Bolsonaro. A ministra já havia falado, em 2019, que a população trans merece um olhar especial.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Deixa eu falar um pouquinho. O pessoal fala: ‘ah, a Damares está com uma pauta diferente do presidente’. Para nós, todo mundo é ser humano. Ela recebe emendas impositivas de parlamentares”, disse o mandatário, sobre a inserção de pautas LGBTs.

Em agosto, Damares causou revolta ao excluir famílias LGBTQIA+ de campanha, mas justificou após a repercussão negativa. “Nós colocamos essa chamada porque a família constituída homoafetiva é muito pequena ainda. Nós não estamos excluindo ninguém. Nós estamos trabalhando com evidências”, disse a secretária em entrevista.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio