Médico (Ilustrativo)

Segundo o especialista em ginecologia e obstetrícia Rodrigo Ferrarese, fatores como envelhecimento, gravidez, obesidade, alimentação e até mesmo o atrito de roupas íntimas, ou muito justas, levam ao escurecimento das partes íntimas.´É preciso tomar cuidado também com a depilação, que pode provocar pelos encravados, que inflamam e escurecem o local. 

A região vulvar é uma área com tendência à hiperpigmentação por se tratar de um local com um alto número de receptores hormonais. Esses receptores estimulam a produção da melanina (pigmento que dá coloração para a pele). Além disso, existem fatores externos que contribuem para o escurecimento das partes íntimas.

Essa mudança no padrão de pigmentação pode diminuir a qualidade de vida da paciente, que passa a ficar constrangida ao usar roupas de praia e até ficar apenas com roupa íntima. O mais importante é que há maneiras de clarear a região.


O que fazer para clarear a região íntima?

É preciso avaliar detalhadamente o fototipo da pele e o tipo de mancha para indicar qual o melhor tratamento. Em geral, peelings são suficientes para resolver esse escurecimento. Esse procedimento promove a renovação da pele, a redução do processo inflamatório nos folículos pilosos e a redução da hiperpigmentação.

O melhor é que podemos usar esses peelings em outras regiões além da vulvar, como nas axilas, nos mamilos e até mesmo na região anal. Com uma sessão já é possível ver resultados, mas o ideal é realizar aproximadamente de quatro a cinco sessões para o resultado esperado. Mais informações podem ser obtidas pelo canal no YouTube e também pelo Spotify  ou pelo site https://drrodrigoferrarese.com.br/