Segundo dossiê, 82% das transexuais assassinadas no Brasil são negras

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Conforme reportamos inúmeras vezes, a realidade de pessoas trans no Brasil é permeada por percalços, discriminação e invisibilidades. O levantamento elaborado pelo Instituto Internacional sobre Raça, Igualdade e Direitos Humanos computou, após entrevistas e relatos de pessoas do meio, que 82% das transexuais assassinadas eram negras em 2019. 

“O Brasil é um país extremamente desigual, hierarquizado e autoritário, constituindo-se, dessa forma, como um ambiente em que o racismo e a LGBTIfobia, imbricados com outros eixos de dominação, como o machismo e a dominação de classes, pulverizados nas instituições do Estado e nas relações sociais”, analisou o estudo, segundo o 247.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos EUA, em apenas dois dias, duas mulheres trans afro-americanas foram assassinadas no início de julho, em meio à pandemia do novo coronavírus. Uma delas foi esfaqueada e não resistiu aos ferimentos.

A soma se assimila a mais de 20 mortes de transexuais negras mortas, só no primeiro semestre deste ano no país norte-americano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio