interrupção da PrEP
interrupção da PrEP - foto reprodução Gay Star News

O sexo tem se tornado uma nova linha de frente na luta contra o coronavírus devido ao alto risco de transmissão do COVID-19 (via contato respiratório e saliva). Agora, as organizações de saúde sexual estão dando novos conselhos a homens gays e bi sobre sexo, incluindo alternativas.

Segundo extensa matéria do Gay Star News, as autoridades em saúde também estão aconselhando as pessoas a fazer uma pausa segura da PrEP, pois elas podem não precisar. Enquanto isso, também há novos conselhos para pessoas vivendo com HIV durante a pandemia.

Uma pesquisa divulgada nesta semana indicou que 28% das pessoas LGBT+ do Reino Unido ainda estariam saindo para encontros durante a pandemia. Além disso, 16% disseram que teriam sexo ou relações sexuais nesse período.


Quais são os riscos?

O Dr. Michael Brady, diretor médico da principal organização de saúde sexual do Reino Unido Terrence Higgins Trust, publicou: “Vírus O vírus pode ser transmitido através do contato direto com a saliva ou muco, portanto isso inclui beijo. O vírus COVID-19 também foi encontrado nas fezes das pessoas infectadas, de modo que o beijo anal também pode ser um risco de infecção”.

“Infelizmente, lavar as mãos e não beijar alguém durante o sexo não é suficiente para parar o vírus”, reitera o médico em sua postagem. Algumas pessoas ainda estão marcando encontros perguntando se estão “saudáveis”, mas Brady adverte: “Mesmo que alguém não tenha sintomas, ele ainda pode ter o vírus”.

A organização britânica Prepster diz que existem boas razões para evitar encontros: “Você também aumentará o risco de passar o COVID-19 para outras pessoas caso esteja em contato social ou encontro para sexo casual, incluindo membros da família, colegas de casa e parceiros regulares.

Se alguma dessas pessoas tiver uma condição grave de saúde subjacente e tiver COVID-19, as implicações para a saúde podem ser sérias. Há outro motivo pelo qual os encontros estão sendo desencorajados: muitos serviços de saúde estão sobrecarregados ao lidar com o COVID-19 e não conseguem oferecer serviços de saúde habituais.

Em todo o mundo, os testes de rotina de IST está sendo reduzidos, portanto, se você receber ou passar uma IST durante um encontro, será mais difícil testá-lo e tratá-lo do que o habitual. No entanto, para as pessoas ignoram os conselhos de segurança e ainda encontram estranhos ou amigos para fazer sexo podem reduzir um pouco o risco:

Evitar o sexo que envolve a troca de saliva, como beijar, beijar ou cuspir;

Lavar as mãos e o rosto com água e sabão antes e depois do sexo;

Tomar banho antes e depois do sexo (compartilhar toalhas não é uma boa ideia);

Reduzindo o número de conexões que você possui;

Reduzir o número de pessoas envolvidas durante o sexo;

Reduza a quantidade de contato corporal, prefira sexo solo, masturbação, brinquedos sexuais (próprios, sem compartilhar).

Seria a hora de fazer uma pausa na PrEP?

As organizações de saúde sexual também estão sugerindo que as pessoas façam uma pausa na PrEP durante a pandemia. Pessoas que se auto-isolam e não fazem sexo não precisam tomar o medicamento.

Certamente, alguns ainda podem precisar de PrEP, por exemplo, se eles vivem com um parceiro sexual sem certeza de que é HIV negativo ou um parceiro com HIV que ainda possui uma carga viral alta. Lembramos que HIV positivos com carga viral indetectável não podem transmitir o HIV.

Uma clínica de saúde sexual do Reino Unido, a Dean Street, diz que você também pode reiniciar o PrEP muito rapidamente após a pandemia. Da mesma forma, ‘PrEP baseada em eventos’ também é adequado, mas apenas para pessoas cujo principal risco de HIV é o sexo anal sem camisinha.