Com objetivo de ajudar jovens LGBTs que sofrem com transtorno de ansiedade, a startup pernambucana, Moodar, construiu uma plataforma online pensando em oferecer tratamento comportamental para este grupo.

Estudos apontam que 40% dos jovens LGBTI+ já pensaram em suicídio, apresentando seis vezes mais propensão que os demais; no Brasil, os casos aumentaram 284% em apenas dois anos.

“Esta epidemia não está roubando apenas anos preciosos das vidas desses jovens, mas roubando suas próprias vidas” diz Felipe Politano, head de Marketing da Moodar. “É um mal global, mas é cruel que a população mais sensível a ele seja justamente aquela com mais dificuldade para acessar um tratamento”, completa.


Pelo valor de R$ 139 mensais, o app oferece até cinco consultas por mês, com acompanhamento diário. O tratamento pode ocorrer através de áudio ou vídeo, em horários flexíveis. Além disso, a Moodar disponibiliza ferramentas de exercício e monitoramento da ansiedade.

Mais que uma marca aliada, a Moodar faz questão de ser uma empresa que integra à comunidade LGBTI+ de dentro para fora. O seu gestor, Felipe Politano, faz parte da comunidade e se orgulha disso. “Como gestor e LGBT, para mim é essencial que a Moodar não esteja só ao lado da comunidade, mas que tenha um ponto de vista de dentro dela”, afirmou.

Para conhecer a terapia online: basta acessar o site www.moodar.com/queromoodar ou buscar pelo app Moodar no Google Play (Android) ou App Store (iOS); uma equipe de consultores está à disposição no suporte@moodar.com.br no caso de dúvidas.