France Júnior e a Ana Martin Januário
France Júnior e a Ana Martin Januário (Foto: reprodução)

Para trazer um ineditismo no âmbito político dentro da comunidade LGBT, uma candidatura coletiva LGBTQIAP+ vai disputar pela primeira vez uma cadeira da Câmara Municipal de Ribeirão Preto nas eleições de 2020.

O jornalista France Júnior e a Ana Carolina J. Martin, estudante de jornalismo e vice-presidente do Centro Acadêmico de Comunicação Social da Universidade de Ribeirão Preto, levantam a bandeira da diversidade e luta por direitos de grupos minoritários. Ainda, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não reconhece as candidaturas coletivas e esclarece que o mandato é ‘individual e personalíssimo’. Na candidatura coletiva, o eleito se compromete, em contrato registrado em cartório, a exercer o mandato expondo suas propostas e decisões à aprovação do grupo. O eleito precisa ser filiado a um partido, mas os demais membros não. Ou podem ter filiações partidárias diferentes.

É uma tecnologia de participação política que o PCdoB tem estimulado em vários estados do país. Vai ser a nossa primeira experiência em Ribeirão e também na capital. Está todo mundo empolgado com a ideia e nosso proposito é fazer com que pautas que entendemos ser importantes venham a ser discutidas no mandato. Por exemplo a pauta LGBTQIAP+, das mulheres, da cultura nordestina, e de uma segurança pública mais efetiva”, disse o pré-candidato à vereador, France Júnior.


Temos uma política de saúde integral para pessoas LGBTI+ que ainda está em construção em Ribeirão Preto, através do Ambulatório de Estudos em Sexualidade Humana do HC, mas precisamos expandir essa política para outros locais de atendimento e unidades para estarmos mais próximos desta população. Se não me vejo representado lá na câmara, certamente toda a população LGBTQIAP+ da nossa cidade não se vê. Queremos dar vez e voz para todas as pessoas e buscar mais direitos para que acessem políticas públicas. Estamos perdendo, infelizmente, cada vez mais espaço no debate político da nossa cidade, principalmente, à população LGBTI+, negra e pobre, precisamos ocupar esses espaços e fazer ecoar nossa voz”, disse.

Além do mais, a bancada lançou uma vakinha on-line para conseguir viabilizar a campanha coletiva. Você pode doar clicando aqui.

O lançamento oficial da campanha da Bancada [R]existir acontece no dia 1 de outubro, às 18h, no Facebook @bancadarexistir