Primeira congressista lésbica eleita no Peru fala sobre suas lutas

Susan deixou claro que a polarização entre esquerda e direita não é uma estratagema eficiente

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Susel Paredes logrou-se como a primeira lésbica eleita para o Congresso do Peru e, nesse sentido, destacou que luta para ter o próprio casamento reconhecido no país, visto que o matrimônio foi celebrado há quatro anos nos EUA. Susel foi eleita no domingo (11) e se torna a única legisladora abertamente LGBT+ do país, segundo O Globo.

Estamos no meio de um fogo cruzado entre fundamentalistas de direita e de esquerda”, disse Paredes. “Mas vamos travar uma batalha muito forte. O litígio estratégico será crucial”, continuou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Se qualquer um deles for eleito, será um problema para nós LGBTs. É preciso avançar com a judicialização para garantir direitos na Suprema Corte do Peru”, disse. Vale frisar que no Peru, diferentemente de outros países da América do Sul, o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é legalizado e, além do mais, trans não podem transicionar para adequar o gênero à sua identificação.

A nova congressista enfatizou que seria benéfico para a política do país a implementação de cotas para pessoas trans, no mercado de trabalho e universidades. Ressaltou também um tratamento mais duro para crimes contra LGBTs, motivados pela orientação sexual do sujeito.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio