Rio Sem Homofobia
Rio Sem Homofobia - foto divulgação

Gays, lésbicas, transexuais e travestis em situação de rua e vulnerabilidade social que buscarem o programa Rio Sem Homofobia na capital serão encaminhadas para o Centro Provisório de Acolhimento da Prefeitura

O Coordenador Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio de Janeiro, Nélio Georgini, esteve na tarde desta segunda (6), visitando o programa Estadual Rio Sem Homofobia. Ele se reuniu com a recém-nomeada superintendente de Políticas LGBT da Subsecretaria de Promoção, Defesa e Garantia dos Direitos Humanos, Caroline Caldas. A Coordenadora é a primeira mulher- e lésbica- assumir o comando da pasta criada em 2007.

Eles fizeram a primeira reunião para debater políticas públicas LGBTs no Estado e no Município. E como os órgãos do município e do Estado podem trabalhar em conjunto para promover as iniciativas de diversidade.


Além disso, na reunião foi abordado o encaminhamento de gays, lésbicas, transexuais e travestis em situação que procuraram o programa Rio Sem Homofobia. Anteriormente, eles eram encaminhados para um centro de triagem da Prefeitura do Rio. Agora, o CPA4( Centro Provisório de Acolhimento), voltado, especificamente, para LGBTs, vai atender esta demanda. 

O espaço recém-inaugurado fica na Lapa e conta com 50 vagas para pessoas LGBTQ+ em situação de rua e vulnerabilidade social. O abrigo também oferece refeições diárias e ações de cidadania.

Também esteve presente o subsecretário estadual Thiago Miranda, da subsecretaria de Promoção, Defesa e Garantia dos Direitos Humanos, além de integrantes de movimentos sociais, como exemplo, a trans Indianara Siqueira, líder da Casa Nem , e a ativista Luciana Vasconcelos.