Bandeira LGBT+ Foto/Reprodução
Bandeira LGBT+ Foto/Reprodução

Os desafios de lidar com a orientação sexual no mercado de trabalho, que muitas vezes é cenário de coibição e preconceito, é algo que sempre deve vir à tona, de modo que as empresas entendam a necessidade de ações para corroborar a inclusão e o respeito integral.

Um estudo Oldiversity®, realizado pelo Grupo Croma, mostrou que um em cada cinco brasileiros admitem já terem tido alguma atitude racista e que 77% dos pretos acreditam que as empresas têm preconceito ao contratá-los.

No entanto, 67% das pessoas entrevistadas desejam que exista mais diversidade nas marcas e nas empresas – Ainda, 72% dos LGBT+ entrevistados gostariam de ver mais propagandas com elementos de diversidade. Dentre os segmentos mais associados pelos LGBT+ o setor de cosméticos, beleza e higiene pessoal foi o mais apontado com 52% e é o setor da propaganda que mais apresenta elementos da diversidade hoje no Brasil. Natura e o O Boticário são as marcas mais associadas à diversidade LGBT+ com (32%) e (21%) respectivamente.


“As empresas gastam muito com publicidade, mas fazem isso apenas uma vez por ano. Mas se a empresa apoia a longevidade e diversidade, cadê os mais velhos no quadro de funcionários? E os LGBT+?” , indaga Edmar Bulla, CEO do Grupo Croma.

O estudo traz amostra de 47% do gênero masculino, 53% feminino, sendo 92% heterossexual, 4% homossexuais, 3% bissexuais, 1% assexual. Brancos representam 49% da amostra, enquanto 40% são pardos, 9% pretos, PCDs representam 11% dos entrevistados.