Imagem Ilustrativa (Foto: Reprodução)

Um crime escabroso deixou marcas eternas em Thaylanne Costa Santos, que foi vítima de três homens quando voltava de uma festa na cidade de Formosa (a 281 km de Goiânia). Thaylanne foi atacada violentamente, em outubro do ano passado, de diversas formas – fisicamente e psicologicamente. Segundo a mãe, os agressores proferiram frases como “Sapatão tem que morrer mesmo”.

Ela ficou banhada de sangue. O corte na nuca dava pra ver o osso. O rosto dela inflamou tanto que reabriram a ferida e encontraram farpas da madeira e britas de concreto”, disse Luciana Costa Santos, mãe de Thaylanne.

Sobre sequelas, a mãe chora ao olhar para sua filha. “Ela ficou com transtorno psiquiátrico. Ela fala com dificuldade e às vezes não diz coisa com coisa. Ela se esquece das nossas conversas e a coordenação motora ficou lenta”, conta a mãe.


Luciana destaca que a filha assumiu sua orientação sexual aos 14 anos e foi aceita pela família. Ainda, ressalta que após o ocorrido precisa de ajuda para os custos. “O SUS [Sistema Único de Saúde] fornece dois, mas três eu preciso comprar. São R$ 400 por mês: um para dormir, outro para evitar convulsão e um à base de morfina para as dores nos dentes e na cabeça”, disse.

Para ajudar, é possível contribuir com uma vaquinha virtual.