Papa Francisco nomeia ativista gay abusado por padre para liderar comissão sobre pedofilia no Vaticano

Ativista gay que denunciou padre por abusos será líder de nova comissão

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta quarta-feira (24), o Papa Francisco nomeou o ativista gay chileno Juan Carlos Cruz, que foi vítima do padre pedófilo Fernando Karadima, para liderar uma comissão contra abusos cometidos pelo clero no Vaticano.

De acordo com a imprensa de Santa Fé, Juan fará parte da Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores pelos próximos três anos. A comissão autorizada pelo Papa Francisco tem como objetivo discutir medidas de combate à pedofilia na Igreja Católica e tem o brasileiro Nelson Giovanelli, fundador da comunidade Fazenda da Esperança, de Guaratinguetá (SP), como um dos membros.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 2018, o padre pedófilo Karadima, teve seu estado clerical revogado após inúmeras denúncias acobertadas pelo episcopado chileno. O ex-bispo de Osorno Juan Barros Madrid, acusado de ocultar as denúncias contra Karadima, foi um dos demitidos pelo Vaticano por conta do escândalo.

Juan Cruz diz que suas primeiras denúncias foram desacreditadas pela Igreja Católica, mas que Papa Francisco o consolou e acreditou em suas palavras. “Juan Carlos, o fato de você ser gay não importa. Deus te fez assim. Isso renova meu compromisso de continuar trabalhando para acabar com o flagelo dos abusos e por tantos sobreviventes que ainda não obtiveram justiça“, contou Cruz em seu perfil no Twitter.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio