Nego do Borel analisa polêmica antiga de transfobia e se vê como vítima

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo sendo criticado pelo clipe, foi indicado ao Grammy Latino e sobre isso, comemorou: “É bem especial, porque fui eu que idealizei tudo. Criei a música, pensei no roteiro do clipe… Nunca imaginei obter reconhecimento internacional”.

Na época, chegou a se referir à Luisa — mulher transexual — como um rapaz bonito. Sobre isso, o cantor se desculpou: “Fui infeliz. Quis ser engraçado e errei. Mas aprendi muito. Hoje, sei que o que falo tem muito peso, preciso ter cuidado. Fui a São Paulo, e a gente fez as pazes. Ela me falou: ‘Nego, você é gente boa, fica tranquilo”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Borel confidencia o que aprendeu com essa situação: “Entendi o posicionamento da Luisa. A comunidade LGBTQI+ luta muito para normalizar o olhar sobre ela, muitos morreram e ainda morrem por causa do preconceito. Aprendi a lição: não se brinca com isso, e ninguém é obrigado a entender as minhas brincadeiras”.

Por fim, se mostrou como uma vítima da repercussão que isso causou: “Cheguei a chorar de tristeza. Pessoas me atacaram e me julgaram preconceituoso, coisa que eu não sou. Nem posso ser! Sou de família negra, pobre e favelada. Já sofri muito preconceito na vida, sei bem o que é isso. Acho que fui mais vítima… Todo mundo merece uma segunda chance. Eu me arrependi, mas muita gente continua me atacando. Se aproveitam da situação para tripudiar em cima de mim”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio