Kenny Jones
O modelo e ativista Kenny Jones.

O HuffPost assistiu em primeira mão à um trecho de Pandora’s Box: Lifting the Lid on Menstruation (Caixa de Pandora: Levantando um ponto sobre menstruação) no Festival Internacional de Cinema de Santa Barbara, nos Estados Unidos e um dos pontos mais marcante sobre a obra é o fato de a mesma abordar a vida de homens transsexuais.

O tabu acerca do homem que menstrua ainda é enorme e tal feito aumenta e larga escala a depressão da sigla T da comunidade.

“Tive minha primeira menstruação com 15 anos mais ou menos e odiei”, contou Jones, que hoje tem 25. “Eu podia enfaixar meu peito, então não precisava me preocupar com isso. Ninguém ia olhar para meu ‘andar de baixo’, mas eu não tinha como impedir o que a menstruação fazia comigo.”, fianlizou.


O documentário nasceu como um projeto especial da produtora executiva Carinne Chambers-Saini, CEO da Diva International, empresa do Canadá que vende produtos menstruais. Carinne procurou Rebecca Snow, de Toronto, em 2018 para propor a criação de um documentário sobre o movimento menstrual.

A participação do modelo e ativista transsexual Kenny Jones, é de suma importância para milhares de LGBTQ+ ao redor do globo. “Fiquei surpresa de ouvir Kenny dizer que ainda sofre cólicas menstruais, apesar dos hormônios que toma. Duvido que muitas pessoas tenham parado para refletir sobre os efeitos psicológicos disso entre pessoas trans.” , disse a diretora sobre Jones.

A recepção da crítica com “Pandora’s Box”, que teve sua estreia mundial em dezembro no Festival Whistler de Cinema, no Canadá, vem sendo positiva. A produção segue sem data para vir aos cinemas do Brasil.

Você pode ler a matéria completa e original no HuffPost USA.