MP diz que PM matou Marielle por repulsa às suas causas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Ministério Público ratificou na tarde desta terça-feira (12) que a vereadora Marielle Franco foi morta por causa de uma “repulsa” do atirador Ronnie Lessa a sua militância política em defesa de causas direcionadas para as minorias. O PM reformado Ronnie foi apontado pela força-tarefa como o contraventor.

Essa motivação não impossibilita, segundo a promotoria, um possível mando do crime. As investigações seguem em sigilo especificamente para identificação de pormenores, acerca de uma possível encomenda de morte.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Todos os autos de investigação nos autorizam a hoje a afirmar e a colocar e a imputar aos dois denunciados a motivação torpe, decorrente de uma (…) repulsa, de uma reação de Ronnie Lessa à atuação política de Marielle na defesa de suas causas”, disse Simone Sibilio , promotora de justiça e coordenadora do Gaeco. Entre essas causas estão a defesa de “minorias, mulheres negras, LGBT, entre outras”.

Saiba mais: Policiais militares são presos suspeitos de participarem do assassinato de Marielle Franco

“Essa motivação ela é decorrente da atuação política dela, mas não inviabiliza um possível mando. Ela não inviabiliza que o crime tenha sido praticado por uma paga ou promessa de recompensa. Essas causas juridicamente e faticamente não se repelem”, acrescentou a promotora.

Independentemente do desfecho das investigações, a motivação do crime foi torpe.“O executor Lessa atirou contra o carro que estavam a vítima. Foram 14 disparos que atingiram o veículo. A denúncia também imputa o crime mediante emboscada porque monitoraram a vítima. Eles aguardaram ela sair da Câmara, tinham informações privilegiadas e ficaram na Rua dos Inválidos até Marielle sair de lá”, Relatou.

Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos contra Marielle, e Élcio Queiroz, suspeito de dirigir o carro. (Foto: Reprodução/TV Globo)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio