(Ilustração)

O clima está cada vez mais complicado para a diversidade da Polônia. O governo repudia qualquer pauta favorável à comunidade LGBT e ainda a categoriza como “pior que o comunismo”.

“Nossa constituição afirma explicitamente que a família é a união de uma mulher e um homem”, afirmou Janusz Kowalski, Ministro de Estado. “Todas as ideologias de esquerda que atingem a família tradicional e promovem relações como um homem mais um homem mais uma criança são inconsistentes com a constituição polonesa e a herança cultural“.

Por meio do Twitter, ele acrescenta: “Não há base para a discriminação com base na cor da pele, religião ou preferências sexuais, mas outra coisa é a afirmação e imposição de um modelo em que se diz que há 56 gêneros e possamos escolher nossas preferências a partir deles. Isso é loucura“.


Ainda, com a ambição de reverter a orientação sexual de LGBTs, uma igreja da Polônia quer incentivar o tratamento psicoterápico para conversão da sexualidade. Segundo as autoridades católicas, LGBTs devem retomar à orientação natural.