Sangue LGBT+ (Foto Ilustrativa)
Sangue LGBT+ (Foto Ilustrativa)

Após pressão de autoridades e ativistas LGBTQ+, o Ministério da Saúde decidiu acatar as normas do Supremo Tribunal Federal (STF) e orientou gestores estaduais do SUS a aceitarem doações de sangue por homens gays.

Desde o último dai 22 de maio que a restrição de doação de homens gays foi considerada inconstitucional pelo STF, no entanto, LGBTs ainda eram rejeitados por hemocentros de todo o país.

O impedimento ocorria por conta de uma orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que apenas pedia a liberação das coletas a partir do “encerramento definitivo” do caso.


Conforme o Estadão, a nova orientação do Ministério da Saúde foi tomada após cinco entidades LGBT e o partido Cidadania acionarem o STF para exigir o imediato fim das restrições.

Mesmo os hemocentros sempre aparecerem em estado de emergência, desde o ano de 2016 indivíduos que se relacionam com pessoas do mesmo sexo apenas podem fazer a doação de sangue após um ano sem relação sexual.