Matheus Ribeiro sofre homofobia em lanchonete e faz desabafo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O jornalista Matheus Ribeiro usou o seu twitter domingo (16) para relatar que foi alvo de homofobia em uma lanchonete em Brasília. Segundo Matheus, ele estava abraçado com o noivo quando notou comentários homofóbicos vindos de uma mesa do local.

Cheguei há pouco numa lanchonete, junto com Yuri. Estávamos abraçados, fizemos nosso pedido e eu fui para a mesa, enquanto ele esperava no balcão. Na mesa da frente, três tristes exemplos do que ainda há de pior nesse mundo: gente ignorante e preconceituosa”, começou ele.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Um senhor careca começou a dizer coisas do tipo “que nojo esses viados se pegando”, “esse mundo tá perdido”, “não existe mais homem de verdade”. Pareceu-me até um lamento, talvez por não ter encontrado um companheiro à altura daquilo que busca, tamanho o incômodo”, continuou.

A 2ª pessoa, uma mulher loira, ria meio desconfiada, talvez temendo uma reação. Colocava a todo momento o guardanapo sobre a boca cheia de coxinha gordurosa. Olhava para mim, falava algo, mastigava mais um pouco O terceiro sujeito, de cabelinho enrolado, estava bem de frente a mim. Parecia menos contaminado pelo teor homofóbico do papo, mas estimulava a conversa, nessa altura já percebendo que eu estava ouvindo. Foram uns 3, 4 minutos. Tempo suficiente para que minha cabeça fervesse. Nunca tinha passado por uma idiotice dessas. Mas já devia saber que era questão de tempo. Levantei-me, fui até o balcão e abracei novamente o Yuri. Não cheguei até aqui pra ficar de cabeça baixa. Pegamos o lanche, nos sentamos e contei a ele, que só quis me acalmar. O café estava quente e eu, fervendo. A ponto de querer tirar satisfação. Mas Yuri me convenceu a ficar quieto. Quando o trio se levantou, chamei a atenção do puxador das falas criminosas: “Hey, senhor! Boa noite!” Seguido, claro, de um beijo na boca do meu noivo. Fiz um registro da mesa. Minha responsabilidade jurídica me faz borrar os rostos”, finalizou.

Veja no Twitter

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio