Mário Frias critica uso de Lei Aldir Blanc em projeto LGBTQIA+

O Secretário Especial da Cultura revelou seu ponto de vista em relação ao projeto em seu perfil na rede social

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mário Frias, o Secretário Especial da Cultura, fez uma crítica ao projeto LGBTQIA+, que está sendo apoiado pela Lei Aldir Blanc. Em publicação em seu perfil oficial no Twitter, Frias questionou o uso de dinheiro público no projeto “Criança Viada Show”, podcast com entrevistas de artistas gays de Itajaí, no litoral de Santa Catarina.

Por meio de uma live “Roda Bixa”, o projeto seria oficialmente lançado neste sábado (15). Os convidados do podcast entrevistariam o idealizador de tudo, o ator, diretor e produtor teatral catarinense Daniel Olivetto. Em sua rede social, Frias divulgou a arte da live e escreveu uma série de comentários críticos na legenda da publicação: “É lamentável que os recursos, repassados devido a imposição da Lei Aldir Blanc, sejam usados para fins políticos/ideológicos, e não para seu real motivo, o financiamento da cultura”, disse.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O secretário afirmou que a legislação não o permite “controlar os editais lançados pelos estados e municípios”. Ele opinou, no entanto, que “há um claro desvio de objeto, e a aplicação do recurso com conteúdo que não tem a ver com as manifestações culturais”.

“Roda bixa, roda hétero ou roda alienígena não tem relação com os aspectos e manifestações da nossa cultura. Verificarei mais a fundo essa questão, para ver como será juridicamente possível garantir que os recursos da cultura não sejam aplicados para outros fins”, concluiu o secretário de Bolsonaro, Mário Frias.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio