Mara Maravilha no Fofocalizando (Reprodução)
Mara Maravilha no Fofocalizando (Reprodução)

Mara Maravilha voltou a se envolver em polêmica com a comunidade LGBTQ+. Nesta segunda-feira (20), a apresentadora do Fofocalizando afirmou ser a favor das terapias de conversão, a “cura gay”.

Durante o programa ao vivo, Mara comentou a notícia de que o Supremo Tribunal Federal havia mantido a proibição das terapias, realizada por psicólogos, no território brasileiro.

“Eu não considero que o ‘homossexualismo’ seja uma doença, mas eu trituro essa notícia. Eu acho que qualquer ser humano, pode ser homem, mulher, homossexual, hétero, se ele acha que tá um pouco agitado, que ele quer mudar, ele que vai escolher. Não acho que seja uma doença, mas acho que essa decisão deve ser triturada”, avaliou a apresentadora.


No mesmo programa a cantora gospel também comentou sobre o vídeo que tem viralizado nos últimos dias, onde uma influenciadora afirma que mulheres casadas devem fazer sexo apenas quando o homem quer.

A postura da apresentadora no programa acabou repercutindo nas redes sociais e muitos internautas detonaram Mara Maravilha, afirmando que ela, além de ser homofóbica, estava apoiando o estupro no casamento.