Ludmilla perde processo contra Val Marchiori por injúria racial; Justiça diz que ‘cabelo de bombril’ é liberdade de expressão

Funkeira desabafou na web sobre a Justiça passar pano para comentário preconceituoso

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A cantora Ludmilla perdeu o processo que movia contra Val Marchiori, após acusar a socialite de injúria social por conta do comentário ‘cabelo de bombril’, durante o desfile da Salgueiro no carnaval 2016.

Durante a transmissão dos ‘Bastidores do Carnaval da RedeTV!’, Val comentou sobre a funkeira: “A fantasia está bonita, a maquiagem… Agora, o cabelo… Hello! Esse cabelo dela está parecendo um bombril, gente“. Na decisão da Justiça, foi atribuído que “apesar de seu caráter ácido”, a cantora é uma figura pública e, ao aceitar participar do desfile, transmitido no Brasil e no mundo, “está sujeita à elogios e opiniões contrárias à fantasia utilizada”. De acordo com a decisão, a fala de Val deve ser considerada como “liberdade de expressão”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No histórico da batalha entre as duas na Justiça, Ludmilla venceu em primeira instância em 2018, quando o juiz da 3ª Vara Cível do Fórum Regional da Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio, deu o ganho da causa para a funkeira. No ano passado, a Justiça deu novamente ganho de caso a Ludmilla, condenando Val a indenizar funkeira em R$ 30 mil e a obrigatoriedade de uma retratação em público. Entretanto, Marchiori recorreu nos dois casos, vencendo Ludmilla na última instância.

Em seu perfil no Twitter, Ludmilla fez um desabafo sobre o caso e lamentou o racismo não ser tratado como seriedade pela Justiça do país. ‘Sofreu racismo? Fácil. Vai lá e denuncia’, ‘Lugar de racista é na cadeia’, ‘Vocês reclamam demais, é só ir para a Justiça’. Vocês percebem agora que não é fácil como parece? Essa não é a primeira, segunda ou terceira denúncia que eu faço. Eu também não sou a primeira a passar por isso e, infelizmente, não sou a única. Eu não me faço de vítima não. Eu sou! Está provado. Mas a estrutura desse país é tão racista, que eles têm a audácia de recorrer e ainda por cima comemorar vitória no Instagram. Mas quer saber? Eu não vou parar. E não é só por mim não! Uma hora as coisas vão ter que mudar e no que eu puder usar a minha visibilidade pra ajudar nessa mudança, eu juro pra vocês que eu vou”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio