Livro com temática LGBT+ aborda distopias sociais e reflete sobre os extremos nos discursos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Roberto Muniz Dias categoriza sua obra, Konrads, como um ‘folhetim distópico em meio a um suspense fabuloso’. O intento, também, é propor uma reflexão aberta e reflexiva sobre os extremos nos discursos contemporâneos.

“De onde vem o ódio? Onde nascem as tiranias? As telenovelas fazem sucesso respondendo à primeira pergunta com seus vilões. Os romances distópicos e suas arqueologias das tiranias sempre disputam o topo das listas de vendas. É possível reunir essas respostas? É possível um novelão distópico? Minha resposta foi sim depois de ler essa pequena grande novela. Talvez você tenha uma ideia contrária, mas só vai ter certeza dela após a leitura dessa obra se aventurar nos intestinos do poder e nos corações de seus personagens“, diz José Antônio D. Filho, leitor do livro.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O livro não se centra nas questões políticas, mas promove o debate atual dos extremismos de opiniões entre direita e esquerda se acirraram nos últimos anos, além dos excessos e absurdos de uma distopia fascista”, assevera o autor.

Por se tratar de uma obra ficcional, Dias ressalta que a narrativa envereda por outros caminhos, além da sexualidade e política.

O livro está disponível no site da Amazon no link : https://www.amazon.com.br/dp/B08PG28VPN

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio