(Ilustração)

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS) repudia veementemente o assassinato do designer Wendell Moura dos Santos, 35 anos, encontrado com marcas de tiros no bairro da Boca do Rio, em Salvador, na última quarta-feira (30).

O caso foi o último registrado em 2020 no estado.
“A violência de gênero ou contra grupos minoritários é fruto de uma sociedade ainda alicerçada no ódio e na repulsa àquilo que é diferente. Somos diversos e é essa diversidade que constrói uma sociedade mais plural e criativa, com respeito a todos e todas, sem exceção”, afirma o secretário da SJDHDS, Carlos Martins.

Segundo levantamento, foram registrados 17 casos de homicídio ou tentativas de homicídio LGBTfóbicos no último ano. Em outubro, o SJDHDS repudiou a violência contra o cabeleireiro Rauan Pereira dos Santos, de 29 anos.


Em tempo – A LGBTfobia foi considerada crime em 2019 por decisão majoritária do STF. A conduta criminosa deve ser punida nos conformes da Lei de Racismo (7716/89).