Cruz (Ilustrativa)

Com o intento de reverter a orientação sexual de LGBTs, uma igreja da Polônia quer incentivar o tratamento psicoterápico para conversão da sexualidade. A KEP (Igreja Episcopal da Polônia, na sigla em polonês) incentiva que LGBTs retomem à “orientação natural“.

“Fazer com que as pessoas [LGBTQ+] entendam que sua orientação sexual é um sintoma de feridas em vários níveis de sua personalidade”, diz o documento, elaborado por autoridades episcopais.

A saber, Associação Psiquiátrica Internacional ((World Psychiatric Association), o CFP (Conselho Federal de Psicologia) e a WHO (Organização Mundial de Saúde) baniu, expressamente, a cura gay por entender que a homossexualidade não é uma anormalidade, logo, não deve ser tratada como doença, visto que as pessoas que buscam um psicólogo o fazem mediante pressão social, familiar e/ou religiosa.


Em tempo – Aqui no Brasil, O Supremo Tribunal Federal (STF) votou por manter a suspensão da decisão que autorizava psicólogos a aplicarem terapias de conversão, a famosa “cura gay”, em pessoas LGBTQ+.