A morte e a vida de Marsha P. Johnson (Reprodução)

Ícone da luta pelos direitos LGBTQI+, Marsha P. Johnson foi a heroína da Revolta de Stonewall. Além de ganhar um documentário sobre sua trajetória, seu nome agora será dado a uma praça em Nova York.

De acordo com o NBCnews, segundo relatos de testemunhas, ela foi a primeira a tacar um tijolo em polícias que estavam assediando alguns frequentadores do bar.

A história dela deu início as batalhas por direitos da população LGBT+, além de batalhar contra a Aids/HIV durante a década de 80.


Na região do Stonewall, foi erguido um monumento, onde constam os 50 nomes registrados no Muro Nacional de Honra LGBTQ. Local onde, segundo relatos ela deixou cair uma bolsa cheia de tijolos no parabrisa dos policiais.

Sua morte prematura foi em 1992 aos 46 anos, de forma suspeita até hoje não fora desvendado o motivo nem como. Mas, no documentário produzido pela Netflix o assassinato da diva é explicado.