Homofobia: professor é espancado e torturado por horas após ter vídeo íntimo vazado

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mais um caso
de crime de homofobia. Desta vez, em Serra Brance, no Cariri Paraibano, na
tarde deste segunda-feira (17) um professor foi torturado com requintas de
crueldade por horas e o crime foi filmado pelos criminosos.

Segundo informações colhidas pelo portal De Olho no Cariri e matéria feita pela TV Cariri, o conhecido professor de espanhol Luiz Carlos Rodrigues Alves foi agredido covardemente por um grupo de pessoas, tendo parte de sua roupa retirada e foi violentado por todo o corpo, tendo que ser socorrido às pressas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Assista depoimento da vítima:

De acordo com depoimento da vítima às autoridades policiais, a agressão foi praticada por quatro homens numa localidade conhecida como “Beco das Vertentes”, município de Serra Branca. A vítima chegou a desmaiar no local e só conseguiu fugir porque um carro passou pelo local e afugentou os agressores.

Luiz Carlos
chegou a reconhecer dois dos suspeitos de participação no crime e um deles foi
detido imediatamente pela polícia. Trata-se de Joseph Morone, que está detido
desde a noite de ontem, mas negou ter participado da agressão.

O crime aconteceu
um dia após um vídeo ter viralizado nas redes sociais envolvendo a vítima, Luíz
Carlos, praticando sexo oral em praça pública. A polícia investiga se a
agressão se deu por homofobia, ou se havia outra causa motivadora.

O primeiro acusado já foi levado à cadeia pública e foi enquadrado pelo crime de tortura motivado por homofobia. O delegado Dr. Edson Vasconcelos, responsável por instaurar o inquérito que investiga as agressões sofridas ao professor serra-branquense, diz que o crime foi covarde e fruto do preconceito alastrado em meio a sociedade.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio