Grupo é preso no Egito após exibir bandeira LGBT

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Forças de segurança do Egito prenderam sete pessoas que portavam – pasmem! – bandeiras do arco íris, símbolo da comunidade LGBT. É que o país africano é uma das nações do mundo em que a homossexualidade ainda é considerada crime. O ato aconteceu nesta segunda-feira (25), de acordo com uma fonte ligada a segurança à Agência Efe.

O grupo passou a ser procurado após exibir a bandeira durante um show da banda libanesa Mashrou Leila no Cairo, na sexta-feira passada (22). Os investigadores teriam identificado os autores do “crime”, através da análise de uma câmera de segurança.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os agentes que apuram o caso, ainda afirmaram que os sete detidos também são acusados por “promover a libertinagem e a homossexualidade”. Após a prisão, o caso foi remitido à Procuradoria Geral, onde serão interrogados.

Leia Mais:

Lanchonete em São Paulo abre vagas de emprego para LGBTs

Prefeitura do Rio aposta em Parada LGBT para melhorar economia da cidade

O Colégio de Músicos do Egito enviou ao seu conselho diretivo, um pedido de proibição da realização de shows da Mashrou Leila no país, sob o argumento de que a banda propaga “ideias homossexuais”, apontando que um dos membros do conjunto musical é gay, e por este motivo, incentivou a presença de outros LGBTs na apresentação.

“Se tivéssemos sabido da homossexualidade deste membro, teríamos proibido o show antes da sua realização”, ressaltou o secretário-geral do colégio, Ahmad Ramadan. Naturais do Líbano, a Mashrou Leila é uma banda de indie e pop, com bastante apelo no Oriente Médio, tendo se apresentado em vários países, como no próprio Egito, em 2011, após a revolução de 25 de janeiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio