(Foto por Anatoliy Cherkasov/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

As maiores empresas do mundo, Disney, Microsoft, Google entre outras 133 grandes empresas líderes no mercado, estão pressionando o governo do Reino Unido para ‘fazer progresso para a comunidade e os direitos trans’. Outras 70 das organizações escreveram diretamente ao primeiro-ministro Boris Johnson dizendo-lhe para proteger os direitos trans e reformar a Lei de Reconhecimento de Gênero (GRA).

As empresas se uniram em prol de pessoas trans, dois dias após um grande protesto ser realizado na Trans Pride, em Londres. Os ativistas trans têm se preocupado há meses com a direção futura da Grã-Bretanha em relação aos seus direitos.

Liz Truss, a ministra da Igualdade no país, despertou o alerta na comunidade LGBTQIA+ quando iniciou seus primeiros comentários na pasta. Truss indicou que pode reprimir os direitos trans, incluindo o acesso a banheiros públicos. Uma onda de caos e medo acabou se instaurando entre membros da comunidade, após estes primeiros comentários, levando pessoas a indicarem a saída do país.


Para amenizar a onda de protestos, o governo do Reino Unido prometeu reformar a Lei de Reconhecimento de Gênero desde 2017. A lei, que permite às pessoas trans mudarem de gênero legalmente, foi criada em 2004 e proporcionou a liberdade de pessoas trans para serem reconhecidas pelo gênero atual.