Gilberto Barros e Sônia Abrão (Reprodução).
Gilberto Barros e Sônia Abrão (Reprodução).

Um comentário feito por Gilberto Barros repercutiu negativamente e suscitou a ira de muita gente. O apresentador, em uma live com Sônia Abrão, revelou que não iria se conter caso se deparasse com dois gays se beijando.

Na ocasião, os dois conversavam sobre os sucessos na TV nos anos 70 quando o assunto em questão veio à tona. Barros rememorou um episódio no qual se viu diante de dois gays trocando afeto.

“Eu tinha que acordar às 2h30, 2h, e ainda presenciar, onde eu guardava o carro na garagem, beijo de língua de dois ‘bigode’, porque tinha uma boate gay ali na frente. Não tenho nada contra, mas eu sou gente. Naquela época ainda, chegando do interior. Hoje em dia, se quiser fazer na minha frente, faz. Apanha os dois, mas faz”, disse ele.


Nesse sentido, a declaração repercutiu velozmente e Gilberto Barros foi denunciado ao MP por crime de LGBTfobia. Autor da denúncia, o ativista LGBT William De Lucca, pré-candidato a vereador pelo PT, em São Paulo, argumentou: “Não é admissível que alguém, especialmente na imprensa, incentive a violência contra LGBT. Vai responder penal e administrativamente e vai aprender pela lei a respeitar nossa população”.

Em tempo – Ano passado, por decisão majoritária do STF, a LGBTfobia foi enquadrada como crime na Lei de Racismo.