Geisy Arruda (Foto: Reprodução/Instagram)
Geisy Arruda (Foto: Reprodução/Instagram)

Em live exclusiva para o Observatório G, Geisy Arruda falou sobre como se tornou uma musa das redes sociais entre mulheres, homens e LGBTs e de como seus projetos como escritora de contos eróticos está mudando a vida sexual de muita gente.

No bate-papo, a gata das fotos mais sensuais do Instagram, contou que quando assumiu sua bissexualidade, choveram críticas, mas que sua primeira relação, aos 16 anos, foi com uma mulher: “eu não atendo a fetiches de homens que querem ver suas esposas pegando mulher, eu saio com garotas porque eu gosto”.

Sobre homens, Geisy foi enfática: “pinto pequeno é complicado, tem que ser bonito, apresentável. Já abandonei uma transa porque o pinto dele tinha 10 cm, não dá”. Arruda deixa claro que se homens escolhem mulheres com peito grande, mulheres têm o direito es escolher o tamanho do p**”.


Geisy Arruda está concluindo a segunda edição de seu e-book de contos eróticos que vem com um ensaio fotográfico e você pode baixar no site “O Prazer da Vingança“. “Os contos são autobiográficos, eu escrevo todas as histórias e elas mexem com o público, porque vou fundo nos desejos mais íntimos delas”, conta.

Muito descontraída e tomando uma taça de vinho, Geisy contou que não furou a quarentena que a masturbação tem sido sua melhor companheira: “muita mulher não sabe se masturbar, nunca gozou, não conhece sua própria vagina, esse é o momento para se conhecer”.

Confira a live completa e tudo o que Geisy Arruda falou com exclusividade para o G e fique ligado nas novas lives que vem por aí em nosso Instagram.

View this post on Instagram

confira tudo o que rolou

A post shared by Observatório G (@observatoriog) on