Gabeu, filho de Solimões, fala sobre seu público tradicional e novos trabalhos

Segundo o artista, conseguiu alcançar classes mais tradicionais

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O cantor Gabeu, filho do sertanejo Solimões, da dupla Rionegro e Solimões, em entrevista ao portal Quem, falou sobre carreira, representatividade e seu público majoritário. Segundo o artista, conseguiu alcançar classes mais tradicionais.

“Sempre me senti muito deslocado no meio sertanejo, apesar dele fazer parte da minha história. Tinha a questão de visão de mundo. Mesmo gostando muito da musicalidade, me sentia deslocado. Na minha descoberta artística surgiu essa ideia de fazer o queernejo. Pensei: ‘É uma caminho arriscado e que talvez nem dê certo, mas acho que vai ser verdadeiro e fazer sentido para mim’. Uni coisas muito fortes para mim, o fato de ser gay e caipira”, relembra, que acaba de lançar Cowboy Fora da Lei, título da canção clássica de Raul Seixas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eu tenho feito todo esse meu trabalho para o público LGBT que é do interior, cresceu com o sertanejo a sua volta, mas nunca se sentiu pertencente a essa cultura. Mas o que vier além disso é ótimo. Fico realmente feliz se a pessoa se identificar de alguma forma com as músicas, seja pela estética, letra ou sonoridade nostálgica. Quero conseguir fazer isso mais vezes”, conta.

“Acabei alcançando um público tradicional do sertanejo, que não está acostumado a debater e dialogar sobre pautas das minorias. Muitos não gostaram, não entenderam, se revoltaram, acharam um absurdo. Mas tive uma resposta positiva também de algumas pessoas do público do sertanejo tradicional e de senhoras. Algumas gostam muito, se interessam muito pela estética, letras, deboche, pela veia cômica… Isso é muito bom porque de alguma forma, mesmo que minimamente, a gente está conseguindo furar um pouco a bolha.”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio