Lia Clark
Drag Queen Lia Clark (Reprodução/Instagram)

Trabalhando de forma independente na indústria da música, a drag queen cantora Lia Clark voltou a falar que tem enfrentado dificuldades em divulgar suas músicas, por conta do preconceito.

Em participação no podcast Santíssima Trindade das Perucas desta semana, para divulgar o seu mais novo single, Terremoto, parceria com Gloria Groove, Lia contou que tentou furar a bolha da comunidade LGBTQ+, mas é muito difícil.

“Eu acho que divulgação é o mais difícil. As pessoas cobram e eu não tenho muito o que fazer. Que portas que se abrem pra gente? É muito difícil, muito mesmo. A gente já investiu em assessoria de imprensa pra tentar furar a bolha, entrar em outros lugares, mas é muito complicado. Ou você tem que estar com uma grande visibilidade ou você tem que se vender pra algum escritório que tem contatos, mas, é algo muito difícil“, declarou.


Lia ainda revelou que até tentou fechar uma divulgação mais concreta com o Multishow, para lançar o clipe de Terremoto no programa de clipes TVZ, mas disse que a parceria acabou não acontecendo.

“A gente tentou estrear Terremoto no TVZ, por exemplo. Eles não vão estrear gente. Eles não vão colocar de novo duas drags pra apresentar o TVZ. Teve o ‘boom’ drag, colocaram a gente, mas agora não estamos tão lá“, revelou ela.

Vale destacar que Terremoto se tornou uma das melhores estreia de Lia nas plataformas de streaming. Apenas no Youtube o clipe chegou a ficar por horas em primeiro lugar e menos de uma semana já bateu mais de um milhão de visualizações.

“É muito bizarro tudo isso porque, se você for ver os números, o engajamento, muitas vezes a gente acaba se saindo melhor do que artistas que tem apoio da gravadora, apoio de escritório, de assessoria de imprensa, e mesmo assim as portas não se abrem”, comentou.