Felipe Neto
Felipe Neto (FOTO: Reprodução/Instagram)

Na polêmica ação de Marcelo Crivella em mandar recolher HQs com uma ilustração de um beijo gay, Felipe Neto foi na contramão e doou 14 mil livros. Também como explicamos aqui, o youtuber tem sofrido ameaças por isso e teve que cancelar um compromisso que aconteceria na terça-feira (17). Fãs demonstraram apoio, como resultado.

Resumidamente, Felipe não participará mais do Educação 360 Encontro Internacional, evento promovido pelos jornais Extra e O Globo. Primeiramente, falou sobre o assunto em seu perfil do Twitter, onde escreveu o seguinte:

“Infelizmente a notícia é real. As ameaças se intensificaram e estamos montando um documento para dar entrada na polícia. Já tirei minha mãe do Brasil e estou vivendo com o mínimo possível de exposição. Manterei vocês sempre informados”.


Em parte de comunicado enviado à imprensa, complementou: “É estarrecedor que no Brasil, em 2019, um indivíduo seja impossibilitado de se manifestar e lutar contra qualquer tipo de censura e opressão sem ser ameaçado.

Quero dizer que continuarei lutando, enfrentando o obscurantismo e a opressão, por todos os meios que me cabem, pela defesa do amor e da união até o fim, até onde for possível e até onde minhas forças e meu coração aguentarem”.

Repercussão

Sabendo de todo o impasse, os fãs de Felipe Neto levantaram uma hashtag em apoio a ele, no Twitter. “#ForçaFelipe” se tornou um dos assuntos mais comentados da rede social na noite de segunda-feira (16).

Inúmeros internautas enviaram mensagens de apoio, que consequentemente viralizaram. O renomado escritor Paulo Coelho deixou sua mensagem, em foto do youtuber: “Ele poderia ser nosso filho. Nosso Felipe. Nosso Neto. Está contra a censura, a intolerância e a barbárie. Está do lado da diversidade, da liberdade de expressão e da literatura. Está do nosso lado. E nós estamos com ele”.

O ex-deputado Jean Wyllys complementou: “Minha solidariedade! Eu vivi esse horror por anos. E em 2018 ele se tornou insuportável. Muita força, querido”. Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio de Janeiro, ainda acrescentou: “Inaceitável que isso ainda aconteça. Respeitar a opinião dos outros é o mínimo que se espera em uma democracia. Minha solidariedade e apoio ao Felipe Neto. Força”.