A cantora Aline Barros no Conversa com Bial
A cantora Aline Barros no Conversa com Bial (Foto: Reprodução/TV Globo)

A Justiça do Rio deu parecer favorável à Aline Barros no processo movido por uma ex-backing vocal que pediu R$ 1 milhão de indenização. A 4ª Vara do Trabalho entendeu, no último dia 31, os pedidos como improcedentes.

Rejane Silva entrou com a ação alegando que foi demitida por ser lésbica. Além disso, ela reivindicava os direitos trabalhistas dos dez anos que trabalhou com a artista Gospel, entre 2005 e 2015.

LEIA MAIS:


Namorada de Bruna Linzmeyer surge grávida em fantasia para o carnaval

Juliana Paes e Deborah Secco trocam selinho durante desfile da Grande Rio

O juiz ainda condenou a reclamante a arcar com as despesas judiciais que Aline teve para se defender durante a batalha judicial. O valor das custas foi calculado em torno de R$ 20 mil. Uma nota oficial foi enviada à imprensa pela assessoria de Aline comunicando a vitória.

O texto ainda informa que a reclamante abriu mão do recurso, fazendo o processo ser arquivado. Entretanto, o advogado de Rejane garantiu que a sua cliente irá recorrer da decisão, ao ser procurado pelo G1.