Ex-eleitora de Bolsonaro, drag Kaká di Polly fez nascer a 1ª Parada LGBT do país

É oportuno lembrar-se da importância da drag Kaká di Polly

Publicado em 6/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A drag queen Kaká di Polly, um dos grandes ícones da militância LGBTQ+ de São Paulo, basicamente deu à luz primeira Parada LGBT+ do país. A artista, que iniciou sua carreira intercalando o trabalho de psicologia com shows deslumbrantes como drag, figurou como representação prevalecente na Parada SP na primeira edição, em 1997, simplesmente por ajudar o movimento acontecer.

Ao perceber que os policiais estavam bloqueando a Parada, especialmente pela aglomeração intensa de pessoas, Kaká fingiu desmaio com o intento de paralisar o trânsito e ajudar a parada fluir.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eles tinham fechado pra gente só uma via da avenida. Nós tínhamos que caminhar por aquela faixa e não interromper o trânsito. A polícia chegou e achou que ia ser bagunça, não sei o que, e falaram que ia ficar parado, como uma manifestação. O Beto chorando, em lágrimas e eu falei ‘pera um pouco, mona, eu vou fazer um negócio’. A hora que eu fizer, você coloca esse caminhão na rua e sai andando com esse povo atrás. Eu fui lá na frente, onde começava a rua, eu estava com uma bandeira oficial do Brasil e a polícia olhando pra mim, aí eu fui ficando nervosa e pus a mão no peito e fingi que eu caí, me joguei no chão”, disse em entrevista à Vice.

História

Em resumo – Em 1995, a comunidade começou a se organizar e entender profundamente que, para conseguir algum direito, é preciso correr atrás dele. Já no ano de 1996, o ato foi na Praça Roosevelt, em São Paulo. A atração contou com cerca de 500 pessoas. Todas unidas em prol das demandas LGBTs e pela luta de favorabilidade à dignidade da pessoa humana, sem distinção. Dessa maneira, em 1997, aconteceu a primeira Parada LGBT na cidade de São Paulo. O evento reuniu cerca de duas mil pessoas. Nós falamos com aprofundamento sobre a gênese da Parada na reportagem de 2019.

Polêmicas

Kaká, há 1 ano, fez uma montagem com o presidente vestido de palhaço e afirmou estar arrependida de seu voto. Já em uma carta aberta publicada em seu site, a artista deu detalhes sobre o seu posicionamento no espectro político.

Recentemente, por meio do Instagram, partilhou uma imagem de Fora Bolsonaro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio