Empresas americanas desistem de apoiar evento que homenageia Bolsonaro

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Parece que a fama do presidente Jair Bolsonaro (PSL), não está nada boa nos Estados Unidos. Após o brasileiro ser alvo de um abaixo-assinado para cancelar um jantar que o homenageia, empresas e órgãos norte-americanos cancelaram o patrocínio ao evento. Marcado para o próximo dia 14, Bolsonaro vai receber o prêmio “Pessoa do Ano”.

Uma das empresas a cancelar o auxílio foi o jornal Financial Times. Em entrevista ao The Guardian, um porta-voz do jornal confirmou o cancelamento, mas admitiu que a empresa pretende “manter uma parceria com a Câmara de Comércio Brasil-EUA”, em outros eventos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A companhia aérea americana, Delta, também foi uma das empresas a desistir de apoiar o evento. Em seguida, a consultoria Bain & Company, seguiu o mesmo caminho. “Encorajar e celebrar a diversidade é um valor central para a Bain”, disse a nota.

Além das empresas, o prefeito de Nova York também se posicionou sobre a presença do político brasileiro na cidade e parabenizou o Museu de História Natural, por ter rejeitado a abertura dos salões para o evento, que é realizado há anos no local.

“Bolsonaro é um homem perigoso. Seu racismo evidente, sua homofobia e decisões destrutivas terão um impacto devastador no futuro do nosso planeta. Em nome de nossa cidade, obrigado Museu de Nova York por cancelar este evento”, escreveu Blasio no Twitter.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio