É possível aumentar o pênis? Especialista diz que sim

Profissional diz que por meio da estimulação peniana e de massagens e técnicas tântricas é possível estimular o fortalecimento do pênis

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Alguns homem buscam, de forma insaciável, a solução para o aumento de pênis. Muitos qualificam seus ‘instrumentos’ como desprezíveis. Mas a verdade é que não é saudável fazer uso de remédios ou de qualquer outra coisa sem consultar um especialista sério acerca do tema.

Além do mais, não é necessariamente o tamanho grandioso que ditará a superperformance daquela pessoa, e o essencial é buscar trabalhar a autoestima e o bem-estar, sempre em primeiro lugar. Contudo, alguns especialistas fornecem dicas simples para quem quer entender um pouco mais do assunto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Beatriz Rios alega que, por meio da estimulação peniana e de massagens e técnicas tântricas, é possível estimular o fortalecimento do pênis: “há muitos séculos são conhecidas técnicas de massagens e exercícios tântricos que aumentam e prolongam o prazer, além de estimular o crescimento do pênis com o fortalecimento do corpo cavernoso. Os resultados podem ser vistos não apenas no tamanho do pênis, que ganha alguns centímetros, como na performance e no dispêndio de toda essa energia sexual”, relata.

“Os primeiros resultados aparecem depois de 30 dias. No início, os exercícios devem ser realizados três vezes por semana, e levam em torno de 20 minutos”.

“É preciso realizar as técnicas com o pênis aquecido, seja por uma toalha quente ou um banho morno, e ter muito cuidado para não exagerar e ocasionar em lesões. Mas, a técnica por si só não faz milagres e não vai transformar pessoas com pênis normais em monstros (risos). Haverão ganhos em tamanho e comprimento, mas o principal ganho será no auto-reconhecimento, no estar bem resolvido com o próprio corpo e a própria sexualidade e o realinhamento da energia sexual”, esclarece.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio