Edgar Gomes e Douglas Garcia (Reprodução)
Edgar Gomes e Douglas Garcia (Reprodução)

Edgar Gomes, dono da rede de academias Smart Fit, conhecida pelo público LGBT+, foi um dos alvos da operação da Polícia Federal. A investigação cumpriu 29 mandados de busca e apreensão em seis Estados.

A operação, que foi instaurada na manhã desta quarta-feira (27), teve como objetivo investigar ataques contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o financiamento de fake news.

Quem também está na lista de investigados é o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP). Bolsonarista, o parlamentar, que é abertamente gay, é conhecido por tecer comentários polêmicos contra à comunidade LGBT.


Com a divulgação dos nomes dos envolvidos na investigação, muitos internautas iniciaram uma campanha de boicote à SmartFit. Muitos ficaram surpresos com a possível ligação de um dos donos da academia com o financiamento de fake news.

“Dono da #SmartFit também é alvo da operação da Polícia Federal que apura o financiamento de #fakenews. A gay que não estiver disposta a parar de dar dinheiro pra uma máquina de triturar LGBTs pode se retirar da minha página, fazendo o favor. Pode ser? Obrigado”, escreveu um internauta.

Dono da #SmartFit também é alvo da operação da Polícia Federal que apura o financiamento de #fakenews. A gay que não…

Posted by Bruno Maia on Wednesday, May 27, 2020