Bandeira LGBTQ+Foto/Reprodução.
Bandeira LGBTQ+ (Foto/Reprodução)

Com o intento de discutir sobre pautas concernentes ao público LGBT+, a Coordenação de Projetos e Programas da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) reuniu representantes da comunidade LGBTI nesta quinta-feira (5).

“Temos defensoras e defensores da capital e do interior e a nossa ideia é apresentar onde nós estamos. Para que sempre que surja alguma necessidade, alguma demanda, as pessoas LGBTI possam procurar a Defensoria Pública, porque temos direitos e direitos não são privilégios de uma classe social, de uma orientação sexual, de uma identidade de gênero. Direitos é algo que a Defensoria Pública busca todos os dias concretizar”, disse Rodolfo Lobo, coordenador de projetos e programas, segundo o Tempo.

“A criminalização da LGBTfobia foi implementada há pouco tempo e ainda é pouco discutida, faltam ferramentas para fazer valer a lei. E as pessoas privadas de liberdade, entre os quase 12 mil internos do sistema prisional no Amazonas, há 168 pessoas LGBTI, sendo 68 na capital, que precisam ser olhadas de forma adequada”, afirmou Tiana Silva, gerente de Diversidade de Gênero da Secretaria de Estado da Justiça.


Ainda sobre eventos voltados para diversidade, conforme reportamos aqui no site, a edição on-line da 4ª edição da Conferência Internacional da Diversidade e do Turismo LGBT ocorrerá nos dias 17 a 19 de novembro e será sem custos.