O roteirista dos mangás de Boruto: Naruto Next Generations, continuação do famoso desenho japonês, Naruto, usou suas redes sociais nesta última semana para responder alguns seguidores sobre a presença de personagens LGBTQ+ em suas produções.

Apesar do Japão ainda ser um país bastante conservador, para Ukyō Kodachi, personagens LGBTs devem ser cada vez mais comuns em produções do tipo, até mesmo quando a sexualidade não é importante para a trama. Inclsuve, Boruto conta com um personagem não Binário.

No Twitter, Kodachi rebateu um comentário que afirmava que a razão para não haver muitos LGBTs em seus mangás e animes, era porque a sexualidade não era um assunto tão importante para a história ser contada.


“Não, isso não explica. Se isso fosse verdade, os personagens heterossexuais também não teriam motivos para serem heterossexuais. Se você olhar para o meu trabalho, há casos em que um personagem é LGBTQ mesmo quando isso não é trazido na história. É a mesma coisa que ter um personagem hétero, mesmo quando o enredo não se aprofunda neles”, escreveu ele.

E continuou: “Ah, mas não é como se eu decidisse a orientação sexual de meus personagens aleatoriamente como se eu estivesse jogando dados. Eu apenas decido se meus personagens são heterossexuais ou gays ou coisas assim mesmo quando esse não é o tema principal da história. Na minha opinião, faz com que o mundo que estou representando pareça mais natural e vivo”.

Aqui no ocidente as produtora de animações cada vez mais têm se preocupado em trazer a diversidade para as telas. Um dos desenhos que tem agradado bastante o público LGBT+ é a nova versão de She-ra, para a Netflix. Inclusive, a nova temporada vai estrear em agosto na plataforma.